Tiago Lins, numa foto de 2015 defendendo a natureza com o cantor e compositor Bado

Tiago Lins de Lima, pré-candidato a vereador pelo Cidadania de Porto Velho (RO), comentou o artigo do Mais RO, intitulado O perigo de se eleger um prefeito bolsonarista.  “A preocupação com a pauta ambiental é fundamental para um prefeito de uma capital na Amazônia. O argumento de que queimadas sempre existiram não pode ser uma condicionante para continuar acontecendo. Uma hora a conta vai chegar e até mesmo na cadeia produtiva que comete essa prática criminosa pode sofrer impactos, como a diminuição das chuvas e consequentemente sua produção”, destacou. “É importante eleger representantes com capacidade de promover e apoiar o desenvolvimento agrícola do município de Porto Velho sem deixar de lado a pauta ambiental, inclusive está sendo uma exigência imposta pelo mercado internacional ao governo brasileiro, o respeito aos povos tradicionais e a preservação da amazônia. O próprio governo está revendo sua postura e fala diante desse sinal do mercado”, finalizou.

A capital de Rondônia é uma das menos arborizadas do País. O calor devido a falta de árvores na cidade é infernal. Outras capitais como Brasília (DF), situada no cerrado do planalto central, tem duas árvores para cada habitante, o que equivale a algumas milhões  plantadas, muitas delas, frutíferas como abacateiros, mangueiras e até amoras. Acerola, goiaba, jaca, pitanga, ingá nêspera. Tem também limoeiro, goiabeira, tamarindo, cajueiro, jabuticabeira, pequizeiro e pitangueira nas áreas verdes de Brasília.

E, em Porto Velho, o que que tem? Alguns pés de mangas, nada mais. O próximo prefeito terá que ter um compromisso com o meio ambiente, com o clima e com a vida. Porque árvores é vida. Além de frutas e sombras, as árvores são lares de pássaros e outros animais. Onde há árvores o clima é mais ameno.

Portanto, o próximo prefeito não pode ser alguém que não esteja alinhado com o meio ambiente. O pretendente bolsonarista segue as políticas destrutivas do meio ambiente do atual governo. Nunca um governo foi tão irresponsável com o meio ambiente quanto o de Jair Bolsonaro. Sob Bolsonaro a Amazônia está praticamente deserta. Porto Velho sofre pelas queimadas. A fumaça arde nos olhos da população. O que o prefeito de Porto Velho poderá fazer se a atribuição da proteção do meio ambiente é do governo federal? Muito. Muito mesmo. É só ter vontade política e amor à vida.

 

Fonte: Mais RO

Facebook Comments