Livro reúne cartas de um amor que resistiu ao tempo e à distância

0
157
Livro reúne cartas de amor entre casal que viveu em Rondônia. (Editora Tematica/Arquivo pessoal)

Camila Lima – Da Agência Amazônia

PORTO VELHO (RO) – Se existe uma força capaz de transcender ao tempo e resistir aos desafios da vida, é o amor. Prova disso é a obra literária “Cartas de Amor: Ridículo é Não Amar”, uma envolvente viagem pelo passado, que mergulha nas páginas das cartas de uma história real da autora e protagonista Nair Ferreira Gurgel do Amaral. O amor vivido pela autora e pelo esposo, Antônio Orlandino Gurgel do Amaral, nasceu quando ela tinha apenas 16 anos e perdurou por décadas, sendo interrompido pela Covid-19.

O romance entre Nair e Antônio ganhou vida na cidade de Coxim, Mato Grosso, em 1966. A história começou quando ela, aos 15 anos, conheceu “Tuiuiu”, como era conhecido o esposo, um amazonense transferido para Coxim pelo Banco do Brasil. Apesar da separação temporária devido aos estudos de Nair em Botucatu, Estado de São Paulo, eles mantiveram o contato por meio de 57 cartas trocadas ao longo de 12 meses.

 

Antônio Orlandino Gurgel do Amaral e Nair Ferreira Gurgel do Amaral em matrimônio; casal trocou 57 cartas no início do romance. (Arquivo pessoal)

O livro apresenta as cartas originais digitalizadas, acompanhadas de comentários da autora, contextualizando cada momento da história e oferecendo análises sobre a época, os locais, as pessoas e os costumes. Após o casamento, o casal continuou a escrever um para o outro, totalizando mais de 70 correspondências, incluindo cartas, cartões, bilhetes e telegramas, mesmo após se mudarem para Porto Velho, em Rondônia, onde criaram uma família com quatro filhos.

Após 53 anos de uma vida juntos, a narrativa toma um tom mais melancólico quando, em 2020, o esposo de Nair falece devido à Covid-19. Para lidar com a saudade e relembrar os momentos felizes, após a morte do amado, a autora decidiu compartilhar as cartas, oferecendo uma perspectiva íntima de sua vida.

História de amor foi interrompida pela Covid-19, em 2020. (Arquivo pessoal)

A narrativa é uma reflexão profunda sobre a vida, o amor e a superação. Nair Gurgel do Amaral, autora e protagonista desta história, compartilha não apenas as palavras escritas nas cartas, mas os sentimentos que as envolvem, revelando o íntimo processo de criar um livro que transcende o tempo. A semente desse projeto singular foi plantada após a partida de seu esposo, em 2020. “Arrumando os papéis do escritório dele, encontrei uma pasta com as cartas que guardamos durante mais de 50 anos”, revela Nair Gurgel.

As cartas, testemunhas silenciosas de um amor que resistiu ao teste do tempo, estavam ali, aguardando para contar sua história. “Somente a imensa saudade que sentia dele me fez reler uma a uma e reviver nosso amor da juventude“, compartilha a autora. A pasta, esquecida no fundo de um armário, tornou-se um tesouro reencontrado.

Inspiração


O título do livro é extraído do poema “Todas as cartas de amor“, de Fernando Pessoa, e encerra com uma citação de Machado de Assis sobre o amor como uma carta. Inspirada pelo poema de Fernando Pessoa, que proclama que “ridículo é não amar“, Nair Gurgel embarca na missão de organizar o livro, enfrentando dúvidas e incertezas. A contextualização dos eventos, a análise da linguagem da época e a revelação de detalhes familiares tornam a obra não apenas um relato de amor, mas uma viagem completa pelo tempo e pelas nuances da vida.

Nair Gurgel não apenas releu as cartas, mas as digitalizou, transcendeu a fragilidade do papel amarelado e, com o toque de sua dedicação, deu vida a cada palavra manuscrita. “Confesso que a maturidade e o sofrimento com a sua partida me fizeram entender coisas que passaram desapercebidas à época. As palavras, antes apenas traços de um amor jovem, agora carregam o peso da experiência e da perda”, revela.

Casal ficou junto por 54 anos. (Arquivo pessoal)

Ela mergulhou em uma jornada que não apenas resgata o passado, mas que oferece uma nova perspectiva sobre sua própria história. A jornada de publicar a obra envolveu mais do que palavras: foi uma busca por significado, uma análise profunda de uma história de amor que transcendeu desafios e perdurou por décadas. “Só queria ver minha história feliz ser contada e, quem sabe, servir de inspiração para alguns casais“, declara.

Texto copiado de:

Revista Cenárium

Nota da redação do MAIS RO: Antônio Orlandino Gurgel do Amaral foi aluno de Ciências Econômicas da Unir na década de 80, primeira turma, quando era CESUR ainda. Estudou com o jornalista Roberto Kuppê, Nazaré Erse, Sérgio Valente, Idalmir, Jorge Brito, Waldeatlas, Miguel Garcia, Omilson Clayton Tavares, dentre outros. Orlandino foi empresário pioneiro de Rondônia, fundador em Porto Velho da Gurteme Material de Construção, Construtora Cota S.A; Industria Madeireira da Amazônia IMA, além de ter sido vereador por Porto Velho, presidente da Câmara Municipal.