Diarista comemora fim do sofrimento

Ana-Cátia-2-570x380Contemplada com um imóvel no programa Minha Casa Minha Vida no complexo residencial Orgulho do Madeira,  ela gritou de alegria e chorou várias vezes. “Quando saí do nosso barraco, pedi aos meus filhos que orassem muito, pois queira retornar com a chave da nossa primeira morada própria”, recordou.

Como outros candidatos às casas populares,  Ana Kátia disse que chegou muito cedo ao local do sorteio e aguardou ansiosa pelo momento mais sonhado: ouvir seu próprio nome na lista dos ganhadores da casa própria. “Agora, tudo será diferente”, confessa entre lagrimas.

Ana Kátia é diarista numa empresa de eventos, de onde tira sustento para os seis filhos e um irmão que moram com ela num barraco construído há  oito anos numa área de invasão, conhecida como Renascer, na zona leste da capital. “Ali convivemos com a insegurança. A energia chega até lá através de ‘rabichos’ e a oscilação queima os equipamentos, então sempre temos prejuízo. O que chamamos de banheiro é uma casinha feita de madeira no fundo do quintal. É muito difícil, sofrido, mas vai melhorar. Agora, vai”, comemora.

 

Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Daiane Mendonça

Facebook Comments