Coluna do RK- Bastidores da política nacional e regional

0
1066


Por Roberto Kuppê (*)

O anti-petismo é uma bomba relógio

Sem querer, ou querendo mesmo, o eleitor brasileiro está armando uma bomba relógio contra si próprio. Uma bomba relógio que vai explodir nos anos que seguirão. O nome desta bomba relógio chama-se anti-petismo. Criaram no subconsciente popular que o PT é um partido do mal, de ladrões, de nefastos. Em seguida fizeram o impeachment de Dilma, colocando no lugar, Temer, o terrível que desfez todos os programas sociais do governo federal e colocou a venda toda a nossa riqueza. O Brasil é hoje um país mais pobre e mais corrupto. Porque os verdadeiros corruptos estão sendo protegidos enquanto inocentes estão na cadeia. Tudo em nome de Deus! Realmente, observo nas pessoas, principalmente aqueles que nasceram no período da ditadura militar, que muitos não tem formação política e que não conhecem o passado de exploração de nosso país nem a história recente do golpe militar. Nem conhecem as entranhas dos interesses econômicos  internacionais em nossa história. Talvez por isso não consigam enxergar e sejam completamente ignorantes em relação as transformações sociais que estão acontecendo desde 2003, graças ao Partido dos Trabalhadores que mudou o rumo de nossa história, priorizando o que nunca foi priorizado, desde muito tempo.

 

Janaína & Alexandre Frota

O anti-petismo é o culpado pela ascensão à política de duas figuras nefastas: Janaína Paschoal, eleita pelo PSL, deputada estadual em São Paulo com mais de 2 milhões de votos. Afinal, ela foi a autora do impeachment. Fez ascender também um ator pornô, Alexandre Frota, também pelo PSL, eleito deputado federal com mais de 500 mil votos (o articulista tentou achar uma foto publicável de Alexandre Frota…esquece). Isso sem falar em outras aberrações que se elegeram Brasil afora em cima do anti-petismo. O anti-petismo elegeu uma bancada federal que vai aprovar medidas contra o povo como a reforma da Previdência, aumentar os privilégios e reduzir os programas sociais. É o povo votando contra si próprio, tudo só para tirar o PT. Logo o PT que tanto fez pelo país. “Ah, mas o PT roubou”. Roubou o quê, se nem um apartamento triplex conseguiram provar contra Lula? “Ah, e o sítio de Atibaia?”. O caso do sítio de Atibaia é tão fake que o juiz Moro deixou pra lá. Na verdade, a Lava Jato está servindo apenas para esconder a verdade, os verdadeiros ladrões. Desculpe a redundância.

Bolsonaro, o Collor 2

Alguém lembra de Collor de Mello? Vem aí a nova versão. Agora mais perigoso porque ele anuncia tudo que vai fazer. Se estão achando o governo Temer ruim com 96% de impopularidade, imagina como será o eventual governo deste grande filho do anti-petismo, Bolsonaro. Será o fim dos tempos e o início da era das trevas. O eleitorado está cego e com amnésia. Está indo na onda do anti-petismo e deixando de pensar, raciocinar, como em 1989 quando Collor foi eleito presidente contra Lula. Como eleger um presidente que foge dos debates, que não sabe nada, que vai terceirizar a política econômica? De Bozo não ha nada que se aproveite. De um burro se aproveita a carne, o couro. Mas de Bozo, nada! O que ele declarou sobre a morte do capoerista é algo inacreditável: “O que é que eu tenho a ver com isso?”. O perigo bate à porta. O fascismo crescerá no Brasil pelas mãos dos próprios eleitores. E sobre a não nomeação de políticos para os ministérios? Começou indicando Onix Lorenzoni, citado na Lava Jato, que recebeu propina da Odebrecht. Acordem, meu povo enquanto é tempo.

O caçador de maracujás

Assim coimo este articulista está fazendo agora contra o Bozo, em 1989 publicamos no extinto jornal Alto Madeira, de Porto Velho, uma crônica intitulada “O Caçador de maracujás”. Foi um alerta sobre Fernando Collor, então candidato à presidência da República. Na verdade, quem alertou a este que vos escreve foi a minha irmã, Marli Moraes, que mora em Maceió desde o início da década de 80. Ela nos disse: “Cuidado com o Collor, ele é corrupto”. Quem é de Alagoas, sabe. De pronto escrevemos a crônica. Claro, lida por uns poucos. Collor de elegeu e deu no que deu. Querem apostar quanto dura um eventual governo Bolsonaro? No máximo dois anos. Mas, a barbárie perpetuará. A semente do mal foi plantada.

 

Em Rondônia

A onda Bolsonaro chegou forte à Rondônia. Ele obteve por estas terras 540 mil votos válidos, o que equivale a 60%. Como explicar isso? O anti-petismo. “PT não!”. Logo o PT que trouxe progresso para Rondônia, gerou empregos na indústria da construção civil. Ao ponto do presidente da Fiero, Marcelo Tomé afirmar: “O programa Minha Casa Minha Vida trouxe progresso para a construção civil. No governo Temer, o Minha Casa Minha Vida sofreu cortes, gerando desemprego em massa”. Ele só não citou que foi o PT quem trouxe mais empregos na construção civil para Rondônia. Pior, Tomé foi um dos principais ativistas pró-impeachment, que tirou Dilma do poder e o Brasil mergulhou numa grande crise. Deu tiro no pé.

Em Rondônia 2

O pior do anti-petismo foi a ascensão do bolsonarismo em Rondônia. Pior ainda, será a eleição de um coronel para o governo. Um coronel que apoia a perseguição de servidores públicos (veja o vídeo abaixo). Um coronel que já está se juntando a políticos que foram recusados pelo eleitor nas urnas. Se juntando com o que há de pior. Isso sem falar que é um total despreparado. Todos perceberão isso nos próximos debates. “Debate, debate, debate”. O debate será a separação do joio do trigo. “Debate, debate, debate”. Uma palavra proibida no bolsonarismo. O calcanhar de Aquiles de Bolsonaro.

Roger Waters/Pink Floyd

É amanhã o showmício  do Roger Waters, da extinta Pink Floyd, no Mané Garrincha. Será um showmício porque haverá manifestação anti-fascista. O próprio Roger Waters vai exibir no telão ELE NÃO! 

Quem não vota no Bolsonaro, não vota em Marcos Rocha

Bolsonaro tem 57% de rejeição, o que equivale a mais da metade da população brasileira que não votará nele nesse segundo turno. Em Rondônia, esse percentual cai para 40%.

A nova política

Esta é a nova política do candidato ao segundo turno, Marcos Rocha (PSL). Não está nesta foto Nilton Capixaba (PTB) que gravou um vídeo declarando apoio ao coroné, dentre outros que vamos publicar na próxima semana. Ah, nesta foto só tem pecuaristas. Nenhuma mulher.  Fiquem de olho na nova política.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcos Rocha desmente apoio gravado

Após gravar e divulgar o apoio do grupo de Acir (vídeo acima), Marcos Rocha desmentiu e disse que apenas tirou uma foto com Neodi. Veja o vídeo abaixo. É a nova política.

O antipetista

“Todo antipetista segue uma lógica própria, uma lógica que vai muito além da mera lógica direitista. Ele não é um indivíduo que fala sobre o que defende, ele é um indivíduo que fala sobre o que odeia. O antipetista, o extremista de direita, é movido pelo ódio, e para mascarar o seu mau caráter, a sua sede de sangue, o seu desprezo por tudo o que não é espelho, ele segue uma lógica específica.

– O antipetista acha perfeitamente aceitável que o Brasil seja “babá” de banqueiros estrangeiros, que tenha investimentos em países capitalistas e anticomunistas como a Polônia, mas fica furioso quando o país investe em portos em Cuba;

– Nada fala sobre alguém que vai aos Estados Unidos, mas ai de quem vai a países como a Coreia do Norte, logo chamam de “espião financiado pela embaixada”, “agente secreto comunista”, bla bla bla…

– O antipetista acha que é “capitalista”, apesar de quase nunca serem donos de fábricas ou terras.

– O antipetista reprime, mente, calunia e engana e põe a culpa no “malvado comunismo”.

– O antipetista condena o comunismo por tudo aquilo que ele promove e aceita ativa ou passivamente! É um hipócrita e sociopata que tenta justificar todos os crimes que defende atribuindo esses crimes a “regimes comunistas”, tal qual como os inquisidores, que promoviam a tortura e o extermínio alegando “estar lutando contra o diabo”. O antipetista nada mais é do que uma versão contemporânea da Inquisição;

– O antipetista fala que “o comunismo mata”, quando o capitalismo que ele defende não apenas mata, como humilha e brutaliza a condição dos trabalhadores.

– Antipetistas odeiam movimentos sociais, sejam eles em favor dos negros, das mulheres, sindicais… chamam de “comunistas”, mas curiosamente, toda essa crítica não é acompanhada de uma só ação para melhorar a condição desses grupos.”

(*) Roberto Kuppê é articulista político ([email protected])

 

 

Facebook Comments