Devido à pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Porto Velho teve que readequar as formas de atendimento no sistema municipal de saúde. Desde março do ano passado, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) da zona urbana e dos distritos passaram a priorizar os casos de síndromes gripais.

O suporte à comunidade ribeirinha é feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) com quatro Unidades Pólos de Saúde da Família, localizadas nos distritos de São Carlos, Nazaré, Calama e Cujubim Grande.

Estas unidades cobrem com atendimentos mais 15 localidades distribuídas no Baixo Madeira, tanto os casos de rotina quanto os casos suspeitos de Covid.

Quando ocorre a suspeita, os pacientes passam por consulta médica, acompanhamento e monitoramento, entrega de medicação e teste rápido para detecção do vírus e, consequente, diagnóstico. Estes casos são atendidos no horário vespertino.

Cristilane de Souza Delgado, gerente da Estratégia Saúde da Família e Linhas de Cuidado, explica que a Prefeitura mobiliza todas as forças para seguir os critérios da Política Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde (MS).

As exigências são para que a atenção básica seja desenvolvida com práticas de cuidado e gestão democráticas e participativas, sob forma de trabalho em equipe, dirigidas a populações de territórios definidos, pelas quais assume a responsabilidade sanitária, considerando a dinâmica existente no território em que vivem essas populações.

“Todas as unidades da zona ribeirinha contam com equipe de saúde da família composta por profissionais médicos, enfermeiros, odontólogos, técnicos de enfermagem e agente comunitário de saúde”, diz Cristilane.

As unidades de saúde oferecem atendimentos de rotina como, consultas médicas e de enfermagem, atendimento odontológico, laboratório, farmácia, vacinação, planejamento familiar e reprodutivo, pré-natal, puericultura, curativos, acompanhamento do Bolsa Família, cadastro e acompanhamento de diabéticos e hipertensos, notificação e acompanhamentos de tuberculose, hanseníase e outras doenças de notificação compulsória.

A Prefeitura reforça que independente da região ou localidade a população precisa continuar se prevenindo, lavando as mãos ou fazendo uso do álcool 70% para higienizar mãos, objetos e superfícies, evitar aglomerações, usar máscaras e manter o distanciamento social.

 

Fonte: Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Facebook Comments