Uma semana de amor a Rondônia

0
197

Estive em Ariquemes com a força da mulher e dos amigos do MDB, e na Capital fui ao encontro das águas do rio Madeira, da carência da dragagem na frequência exata, e entreguei veículos à fiscalização da Capitania Fluvial.

Minha semana foi promissora, estreitando ainda mais a longa estrada do mandato de senador da República.

Depois de receber autorização para reivindicar ao MEC o Curso de Medicina, ele virá agora possibilitar à UNIR em Ariquemes a formação profissional que certamente se dedicará ao município e ao estado. Ainda somos carentes em saúde pública, e muitos futuros profissionais preencherão a lacuna.

Coincidentemente, entrevistado pelo canal de TV do site Rondônia ao Vivo em Porto Velho, expliquei o que pude fazer para iniciar as obras do Hospital Regional de Rondônia (HEURO) no final do meu segundo governo. Elas foram suspensas, mudaram o hospital de lugar, recorreram a empresas que não deram conta da missão, e hoje amargamos o atraso que, infelizmente, faz o Estado perder vidas.

Daí me vem à memória uma casa de saúde onde a valorosa equipe multiprofissional “se vira nos 30” para atender a pacientes de diferentes histórias clínicas.

Estou lembrando do Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, construído para atender exclusivamente operários e administradores da Usina Hidrelétrica Samuel, e mais tarde adquirido pelo Governo Jerônimo Santana, passando a atender amplamente até hoje pacientes do grande município de Porto Velho e do Interior de Rondônia.

Eu volto a louvar os funcionários do JP II, pois são pessoas que poderiam trabalhar em qualquer lugar de guerra do mundo.

Eles são excelentes naquilo que fazem, apesar de muitas vezes sentirem na carne a ingratidão das pessoas. É certo que todos esperamos pelo HEURO, mas enquanto ele não é erguido e inaugurado, o JP II e o Hospital de Base Ary Pinheiro cuidam dos casos mais graves.

Em Porto Velho visitei a beira-rio. Estou oferecendo a minha parte em apoio à sua plenitude que resulta no crescimento das atividades hidroviárias e na melhoria do comércio interestadual e internacional.

O Rio Madeira, todos sabem, é a espinha dorsal da economia em Rondônia. Desta maneira, a manutenção da navegação de torna vital para o escoamento da produção e o desenvolvimento de nossa região.

Amazônia adentro

Nenhuma descrição de foto disponível.Atualmente, apoio obras de dragagem desse que é o maior afluente da margem direita do Rio Amazonas. Trata-se de uma ação crucial para garantir a navegabilidade do rio.

Fui festivamente recepcionado na sede da Capitania Fluvial, que é jurisdicionada ao 9° Distrito Naval da Marinha do Brasil em Manaus.

Ali estive para entregar duas camionetas, brevemente uma moto aquática, para uso em patrulhamento das águas e fiscalização de embarcações.

Mais para 2024

Depois de ouvir o Hino Nacional Brasileiro, coloquei-me à disposição do Comando da Capitania no sentido de obter barcos e outros equipamentos, com a disponibilidade de recursos do Orçamento Geral da União em 2024.

O rio comanda a vida, lemos nesse livro do sábio amazônida Leandro Tocantins.

A Capitania Fluvial é altamente importante para esta parte da imensa Amazônia Brasileira: ela é responsável por toda a extensão do Rio Madeira, possuindo área de atuação de 658,5 mil km².

Com esse território de atuação quase três vezes maior do que o Estado de Rondônia e duas vezes maior do que alguns países europeus e do Oriente Médio, ela teve aumentada sua jurisdição.

Desde 1º de outubro de 2019, pela Portaria nº 281 assinada pelo Comandante da Marinha do Brasil, a Capitania Fluvial de Porto Velho passou a subordinar as agências de Guajará-Mirim, Boca do Acre (AM), Rio Branco e outros municípios do Acre.

Então, amigas e amigos, ao revisitar a minha Ariquemes tive como objetivo o congraçamento partidário e o empoderamento das mulheres, em um lindo evento organizado pelo MDB.

Pode ser uma imagem de 2 pessoas e pessoas estudandoE na visita a Porto Velho me uni aos interesses maiores e legítimos do comércio, da indústria, do transporte fluvial e do turismo.

Apoiando a dragagem do Madeira e as ações permanentes da Marinha do Brasil, damos mais um passo rumo à consolidação do nosso modal hidroviário.

Abraço a todos.

CONFÚCIO MOURA

Senador pelo MDB de Rondônia