A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Assembleia Legislativa de Rondônia para investigar supostos abusos da empresa Energisa ouviu um funcionário do Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (IPEM), que, em depoimento, admitiu a existência de medidores residenciais de energia elétrica que registram  40% ou até mais acima do consumo verdadeiro do imóvel.

“Nestes casos”, disse ele, “o aparelho é retirado e  se faz um laudo com a anotação do problema”.

Deputados que integram a CPI da Energisa em Rondônia disseram considerar estarrecedores alguns fatos que vieram à tona na reunião ordinária que entrou pela noite de quarta-feira (16). O primeiro deles é que o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) tem assinado com a concessionária de energia elétrica um contrato de prestação de serviços, e não um termo de cooperação técnica.

Saiba Mais: CPI descobre que Ipem é prestador de serviços da Energisa em Rondônia

Sobre o depoimento do metrologista do IPEM, um deputado comentou, sarcástico: “É o consumidor de um lado fazendo gato, porque não consegue pagar a conta lá nas alturas, e, do outro lado, a Energisa fazendo  gato nos seus próprios medidores para cobrar a conta de luz lá nas alturas”.

Fonte: Tudorondonia – Vídeo – Oobservador

Facebook Comments