Prefeitura entrega cestas básicas para famílias de catadores da Vila Princesa

0
102

Com o fechamento definitivo do lixão da Vila Princesa, cumprindo determinação da Legislação Federal, a Prefeitura de Porto Velho adotou uma série de medidas para adequação ao novo momento, com o envio de todos os resíduos sólidos agora para o aterro sanitário do Ecoparque Porto Velho.

As famílias de catadores de materiais recicláveis, que retiravam dos resíduos depositados no lixão a sua fonte de renda, foram cadastradas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf), numa ação em parceria com a Secretaria Municipal de Saneamento e Serviços Básicos (Semusb), com a finalidade de assegurar que não fiquem desamparadas neste período de transição.

Na manhã desta sexta-feira (10), foram entregues cerca de 190 cestas básicas às famílias da comunidade Vila Princesa, que foram previamente cadastradas. As cestas foram adquiridas pela empresa Ecoparque, como forma de contrapartida. Também no próximo mês de dezembro, novas cestas serão entregues.

“Essa é uma ação para suprir a necessidade dessas famílias aqui da Vila Princesa, que viviam da coleta de material no lixão. As cestas são uma contrapartida da empresa, por exigência contratual estabelecida pela prefeitura”, explicou o secretário adjunto da Semusb, Italo Rodrigues.

Silvana Santos mora há 10 anos na Vila Princesa, ela recebeu a cesta básica nesta sexta-feira (10)Silvana Santos mora há 10 anos na Vila Princesa, ela recebeu a cesta básica nesta sexta-feira (10)

A Defesa Civil Municipal fez o transporte de todas as cestas até a Vila Princesa, onde foram entregues na Associação de Moradores. O coordenador municipal de Proteção e de Defesa Civil (Compdec), Elias Ribeiro de Barros, informou que sua equipe fez a logística para levar as cestas até a comunidade. “A gente sabe da necessidade e da importância dessa ação para dezenas de famílias aqui na Vila Princesa”, detalhou.

Silvana dos Santos, de 29 anos, mora há 10 anos na Vila Princesa, e trabalhava, junto com o marido, na coleta de material do lixão. “Tenho uma filha e eu e meu marido vivíamos de catar material. Ficamos sem renda e a cesta veio em boa hora. Estamos esperando o pagamento do benefício, mas aos poucos a coisa vai se ajustando e a expectativa é grande para que nosso barracão seja ampliado e que possamos receber material reciclável e separar para a venda”, explicou.

A diretora do Departamento de Proteção Social Básica da Semasf, Emily Paz, afirmou que a pasta realizou cinco visitas na localidade, com uma equipe técnica formada por profissionais como assistentes sociais e psicólogos, da própria secretaria. “Esse foi um trabalho para identificação das pessoas que têm a sua fonte de renda ligada à coleta de resíduos, sejam elas catadoras individualizadas ou cooperadas, para fazer justiça a quem de fato precisa”, completou.

MÃOS DADAS
O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, sancionou a Lei Complementar Nº 984, de 31 de agosto de 2023, que institui o “Mãos Dadas”, benefício eventual por situação de vulnerabilidade temporária destinado às famílias de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis da comunidade Vila Princesa, e que começarão a ser pagos neste mês.

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)