Operação Catrimani: Forças Armadas empregam 12 aeronaves e entregam 5 mil cestas aos Yanomami

0
350
Brasília (DF), 08/02/2024 – As Forças Armadas entregaram, neste ano, cerca de cinco mil cestas de alimentos às comunidades Yanomami, ao norte do país. A ação ocorre em caráter emergencial desde a publicação da Portaria GM-MD n° 263, publicada em 18 de janeiro, que determinou a ativação do Comando Conjunto Catrimani para coordenar os esforços na distribuição de 15 mil cestas até 31 de março. A operação conta com o emprego de 12 aeronaves da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.
Todo o transporte das cargas é feito de modo aéreo pelos militares. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) disponibiliza os alimentos em Boa Vista (RR), e os agentes da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) fazem a entrega nas comunidades isoladas na Terra Indígena Yanomami (TIY), entre elas, Surucucu, Xiothei, Cereano, Arasik, Hewetheu, Arakassá e Toxahipi. Compete às Forças Armadas realizar o transporte das cestas de alimentos até os pontos de distribuição. 
Até o momento, a ação coordenada pelo Ministério da Defesa (MD) soma cerca de 735 horas de voo. A operação conta com 12 aeronaves da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, sendo 2 C-105 e 4 C-98 Caravan, além de 5 helicópteros (1 UH-15 Super Cougar, 3 Pantera HM-4 e 1 H-60 Black Hawk. Os alimentos serão transportados pelas Forças Armadas até que seja firmado contrato específico entre o Governo Federal e a iniciativa privada, o que está previsto para ocorrer até o final da operação. 
Força-Tarefa – Desde janeiro de 2023, o Ministério da Defesa integra a força-tarefa do Governo Federal para a proteção dos indígenas, além de atuar nas ações de combate a crimes transfroteiriços e de garimpo ilegal na região. Nesse período, as Forças Armadas empregaram cerca de 1.400 militares; realizaram 3.029 atendimentos médicos e 205 evacuações aeromédicas; e entregaram 36,6 mil cestas de alimentos aos Yanomami. O total de cestas entregues pelo Governo Federal soma 58,4 mil, sendo 47,1 mil em Roraima e 11,5 mil no Amazonas. 
As Forças também empregaram 17 aeronaves, 14 embarcações, 38 veículos, 5 lanchas blindadas e 2 navios. O esforço aéreo das aeronaves militares somou cerca de 7,4 mil horas de voo, o que equivale a mais de 40 voltas em torno da Terra ou, ainda, 2 idas e vindas à lua.
 
Por Ruane  Santos e Helena L’acosta
Fotos: divulgação
Ministério da Defesa