A Minerva Foods, líder em exportação de carne bovina na América do Sul e uma das maiores empresas na produção e comercialização de carne in natura e seus derivados no Brasil, adere à estratégia de interiorização de refugiados e migrantes venezuelanos, liderada pelo Governo Federal por meio da Operação Acolhida.

26 profissionais e suas famílias acabam de chegar na cidade de Rolim de Moura (em Rondônia) para atuar em uma das fábricas da Minerva Foods. Com a pluralidade em seu DNA, a Companhia tem como compromisso contribuir com a inclusão desses profissionais na sociedade brasileira por meio de oportunidades de emprego formal. Os profissionais começaram a trabalhar na Companhia no dia 16 de dezembro de 2019.

Foram contratados 26 venezuelanos nesta primeira etapa. Todos eles participaram de uma integração onde conheceram os processos e procedimentos de segurança e saúde, RH, qualidade, entre outros, e receberam os treinamentos específicos para cada função que irão desempenhar: desossa, área de embalagem, embarque, câmaras frias, graxaria e lavanderia.

“Na nossa visão, a iniciativa vai além de oferecer uma oportunidade de estabelecimento e desenvolvimento das pessoas no País. Entendemos que a interiorização desses profissionais promove, acima de tudo, a troca de cultura e aprendizado. Nos preparamos para que essas pessoas se sintam acolhidas e seguras, e que encontrem na Minerva Foods uma nova casa. Antes da imersão na Companhia, organizamos um city tour para que eles conheçam a cidade e possam se familiarizar aos poucos”, comenta José Roberto Affonso, diretor de Recursos Humanos da Minerva Foods.

Todos os materiais apresentados na recepção dos profissionais, bem como a comunicação visual do interior da unidade foram reproduzidos em espanhol para facilitar a adaptação.

“Na Minerva Foods entendemos que a diversidade é fundamental para o crescimento profissional e, acima de tudo, pessoal. Levamos muito a sério essa questão e nos orgulhamos em termos um time muito diverso. É isso que buscamos cada vez mais em todas as nossas unidades”, finaliza.

Os colaboradores passarão pela fase de instalação e adaptação e, posteriormente, receberão suas famílias para que também se instalem no município. A ação atende a diversos critérios estabelecidos pela ONU nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), principalmente ao oitavo, que visa “promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos”.

A interiorização de venezuelanos é um dos pilares da resposta humanitária do Brasil ao fluxo de chegada de venezuelanos, denominada “Operação Acolhida”. Além de reduzir a pressão sobre os serviços públicos em Roraima, a interiorização proporciona melhores condições de integração socioeconômica aos refugiados e migrantes venezuelanos.

O ACNUR – Agência da ONU para Refugiados, apoia a estratégia de interiorização desde o início de sua implementação, em abril de 2018. Responsável pelo registro de refugiados e migrantes que chegam a Boa Vista e pela gestão dos abrigos temporários para assistência humanitária emergencial (que beneficia as pessoas mais vulneráveis), a Agência da ONU para Refugiados tem ainda apoiado organizações da sociedade civil que participam da estratégia de interiorização, no suporte a ações de acolhida nas cidades de destino.

Com base nas informações do seu sistema de registro, o ACNUR identifica os perfis mais adequados para as diferentes modalidades da realocação voluntária. A estratégia de interiorização conta ainda com apoio de diversas outras agências do Sistema ONU, bem como de organizações da sociedade civil e do setor privado.

A empresa Minerva Foods participa da modalidade de interiorização por vaga de trabalho. A estratégia é apoiada pela Operação Acolhida, por meio da Célula e Interiorização, em parceria com os Ministérios responsáveis pelas áreas de trabalho e assistência social. O ACNUR atua na sensibilização e articulação com as empresas que tenham interesse em se engajar e aderir à estratégia.

Paulo Sérgio de Almeida, Oficial de Meios de Vida do ACNUR no Brasil, comenta que as expectativas com as empresas que aderem à estratégia de interiorização estão focadas em garantir a integração socioeconômica. “O principal objetivo da modalidade de interiorização por oferta de trabalho é permitir uma maior integração socioeconômica das pessoas venezuelanas no Brasil. A expectativa é que possam se tornar autossuficientes a partir dos empregos nas empresas contratantes, como na Minerva Foods, viabilizando sua integração social e econômica e ao mesmo tempo em que contribuem para a atividade produtiva da empresa, gerando desenvolvimento”.

Desde o início da estratégia, em março de 2018, mais de 17 mil refugiados e migrantes venezuelanos já foram interiorizados, dos quais 12% se enquadram na modalidade por vaga de trabalho.

Sobre a Minerva Foods

A Minerva Foods é a líder em exportação de carne bovina na América do Sul e atua também no segmento de processados, comercializando seus produtos para mais de 100 países. A Companhia possui, atualmente, capacidade diária de abate de 26.380 cabeças de gado e de desossa equivalentes a 27.966 cabeças de gado.

Além do Brasil, a Minerva Foods está presente no Paraguai, na Argentina, no Uruguai, na Colômbia e no Chile, por meio de sua subsidiária Athena Foods, empresa que nasceu líder no mercado global de exportação de carnes bovinas da América do Sul para o mundo. A Minerva Foods, junto à Athena Foods, atende a cinco continentes com carne bovina e seus derivados e opera, hoje, 25 plantas de abate e desossa, 14 escritórios internacionais, 14 centros de distribuição e três plantas de processamento. Nos últimos doze meses findos em 30 de setembro de 2019, a Companhia apresentou uma receita bruta de vendas de R$ 18 bilhões, 9% acima da receita bruta do mesmo período de 2018.

Fonte: Fernanda Vital – Loures Consultoria

Facebook Comments