Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado nesta quarta-feira (16/9) mostra que o mês de agosto deste ano registrou o maior número de óbitos no Brasil, desde o início da série histórica, em 2002.

Os dados catalogados pelo Instituto com base nos registros dos cartórios até 2018 (última divulgação), comparados aos anos de 2019 e 2020 (disponíveis no Portal da Transparência dos Cartórios), apontam um total de 126.717 óbitos no mês, 17,1% a mais que os 108.178 registrados em agosto de 2019.

O recorde de óbitos em agosto deste ano também é confirmado na pesquisa histórica Estatísticas do Registro Civil, que também utiliza como fonte primária os dados dos cartórios brasileiros.

Em comparação com agosto de 2018 (112.573 óbitos), 2020 registrou um acréscimo de mortes de 12,6%. Já com relação a 2017 (112.116), foram 13% a mais neste ano, enquanto que na comparação com 2016 (108.070), o percentual de aumento em 2020 é de 17,3%.

Coronavírus

Por outro lado, o mês de agosto apontou o menor número de registros de óbitos por Covid-19 desde o mês de maio deste ano, com 24.966 falecimentos, queda de 13,7% em relação a julho, quando foram registradas 28.916 mortes pela doença.

Já com relação à soma dos óbitos por doenças respiratórias no Brasil, agosto registrou 55.359 óbitos, queda de 8,1% em comparação ao mês de julho, quando foram registrados 60.270 falecimentos, e o menor número de mortes por estas causas desde o mês de maio.

De todas as mortes registradas em agosto de 2020, 24.966 são referentes a óbitos que tiveram a Covid-19 como causa, o equivalente a 19,7% do total.

Fonte: Metrópoles

Facebook Comments