erroviários e familiares foram homenageados com café da manhã na Praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré
Ferroviários e familiares foram homenageados com café da manhã na Praça da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

Com um café da manhã bem regional, do qual não escapou o mingau de banana e a tapioca, ferroviários que trabalharam na antiga Estrada de Ferro Madeira Mamoré e familiares foram homenageados pela Fundação Cultural na manhã de domingo, pela passagem do Dia do Ferroviário, data que faz com que a epopeia da construção da EFMM não caia no esquecimento.

O prefeito de Porto Velho, dr Hildon Chaves (PSDB),foi representado no ato pelo vice-prefeito Edgar Tonial do Boi, que lembrou do mutirão de limpeza da histórica praça como a primeira ação de maior envergadura da atual gestão. A praça da EFMM estava abandonada desde a enchente do rio Madeira de 2014, que destruiu máquinas e vagões.

O presidente da Funcultural, Antonio Ocampo disse que vai incluir a data de 30 de abril no calendário cultural em elaboração por sua pasta. O presidente da Associação dos ex-Ferroviários, José Bispo da Silva, pediu que se inclua também a data de 10 de julho como Dia da Nacionalização da EFMM.

Presente à cerimônia, o chefe de gabinete do prefeito, advogado Breno Mendes, falou da determinação do prefeito em revitalizar toda a área da praça da estrada de ferro, inclusive com a construção de um calçadão que fará a ligação até o Mercado do Pescado, no Cai N’Água.

HISTÓRIA

o Dia do Ferroviário é comemorado no dia 30 de abril por que foi nesse dia, no ano de 1854 que foi inaugurada a primeira linha ferroviária do Brasil, numa viagem que contou com a ilustre presença do imperador dom Pedro II e da imperatriz Tereza Cristina. A Estrada de Ferro Petrópolis, que tinha cerca de 14 km de trilhos, ligava o Rio de Janeiro a Raiz da Serra, na direção da cidade que batizou a ferrovia.

Ela foi um empreendimento do empresário Irineu Evangelista de Sousa, que por isso recebeu do governo imperial o título de barão de Mauá. Hoje, pode não parecer, mas as estradas de ferro e seus trabalhadores já foram muito importantes para o desenvolvimento de nosso país. A história do Brasil, em diversos sentidos, caminhou sobre os trilhos dos trens, puxada pelas marias-fumaças e locomotivas.

Facebook Comments