Nesta quarta-feira (28) o Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusaram oito pessoas e o FBI prendeu cinco delas por ajudarem o governo da China a ameaçar fugitivos do país em solo americano em uma operação chamada “Foxhunt”.

As prisões ocorreram nas últimas 24 horas, na área de Nova York e na Califórnia. Ainda de acordo com o FBI, haveria uma grande conspiração da China nos EUA.

Os acusados seriam espiões chineses em solo americano que estariam ameaçando, vigiando e intimidando outros chineses.

O procurador-geral adjunto, John Demers disse que a Operação “Foxhunt” da China tinha como alvo, indivíduos que poderiam ter violado as leis financeiras e eram alvos de investigações policiais. Mas muitos outros eram rivais, dissidentes e críticos políticos do governo chinês.

“A China está violando normas e leis a torto e a direito”, disse o diretor do FBI Christopher A. Wray, acrescentando que o caso, sem precedentes, envia uma mensagem clara ao governo chinês de que “vigiar, perseguir, assediar e chantagear cidadãos e residentes legais dos EUA é algo grave”.

Expectativa frustrada

O pronunciamento “urgente” do FBI, no entanto, frustrou conservadores que esperavam uma resposta a todas as acusações envolvendo Hunter Biden, filho do candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden.

O portal americano de notícias The National Pulse publicou nesta terça-feira, 27, um áudio bombástico atribuído a Hunter Biden.

Em um trecho do áudio, Hunter diz que há um repórter do New York Times querendo falar sobre seu parceiro de negócios, Patrick Ho, “chefe de espionagem da China”, que fundou uma empresa de US$ 323 bilhões com outro sócio que está desaparecido, segundo Hunter.

Além disso, o jornal conservador “New York Post” publicou um artigo afirmando ter obtido uma cópia do disco rígido de um computador que Hunter Biden teria abandonado em uma loja de conserto em Delaware.

O dono da loja teria entregue o computador ao FBI em dezembro de 2019, após copiar seu conteúdo.

Nenhuma palavra sobre estes assuntos foi dita no pronunciamento desta quarta-feira (28). Na análise do jornalista Max Cardoso, do Terça Livre, o anúncio de hoje seria uma tentativa de tirar o foco dos assuntos que envolvem Hunter e Joe Biden.

Fonte: Terça Livre

Facebook Comments