Fechadas as urnas no final da tarde de ontem, o que o Ibope apontava confirmou-se. O empresário e ex-promotor Hildon Chaves, do PSDB, foi reeleito prefeito de Porto Velho e por tabela emplacou sua segunda vitória sobre o deputado federal Leo Moraes (Podemos).

Em 2016, Hildon foi eleito para exercer seu primeiro mandato como prefeito, após vencer Leo Moraes. Nas eleições deste ano, o deputado apoiou a candidata Cristiane Lopes e a novamente saiu derrotado.

Muitos esperavam que Leo Moraes decidisse pela candidatura à prefeitura de Porto Velho nas eleições 2020. Fez mistério até o último segundo da última hora e decidiu não sair candidato.

Leo foi pressionado por muita gente para entrar na briga da sucessão municipal, mas muitos outros o queriam onde está: defendendo os interesses do Estado em Brasília.

No dia 10 de novembro, faltando 5 dias para o primeiro turno em Porto Velho, o deputado fechou apoio incondicional a candidatura de Cristiane Lopes.

O parlamentar chegou a dizer que não poderia ficar neutro e que sua neutralidade em não apoiar Cristiane poderia piorar o que está pior. Um verdadeiro tiro no pé, poderia ter continuado na neutralidade.

Cristiane Lopes representava também o clã Cassol, que domina o partido; por outro lado, Hildon Chaves, tem como aliado o grupo do ex-senador Expedito Junior.

Fechadas as urnas, vitória consagradora de Hildon Chaves, carimbando o passaporte dele para 2022.

Já há quem diga que que ele será candidato ao governo, ou ao Senado nas próximas eleições, deixando a prefeitura nas mãos de Maurício Carvalho (PSDB).

No domingo, após nova derrota, Leo Moraes, que também tem ambições para 2022, usou as redes sociais para parabenizar o prefeito pela vitória.

“Que possa construir pontes e fazer um bom mandato. Sigamos todos em defesa de Porto Velho!”, escreveu

Fonte: Mais RO

 

 

 

Facebook Comments