O Governo de Rondônia, por meio do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBM/RO), prestou uma homenagem póstuma ao capitão do Corpo de Bombeiros do Estado de Rondônia, Cleildo Rodrigues de Cristo, o capitão De Cristo, como era conhecido pela corporação. O descerramento da placa que oficializou a homenagem aconteceu na manhã desta terça-feira, (20). O nome do oficial foi dado ao 1º Grupamento de Bombeiros da força que foi comandado por ele e fica em Porto Velho, que passou a se chamar 1º GB Capitão BM de Cristo.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Gilvander Gregório de Lima, relembrou que o capitão De Cristo também foi um dos responsáveis por dar vida ao grupamento. Ele por muitas vezes conduziu e corriqueiramente executou obras de melhorias no espaço. Uma delas, de acordo com o próprio coronel, foi o calçamento de parte do grupamento.

Durante o ato de homenagem ao militar, sua família e amigos próximos puderam relembrar que o capitão carregava consigo dedicação integral à força da qual fazia parte. Durante sua fala, Gregório disse que De Cristo participava da maioria absoluta das ocorrências do Corpo de Bombeiros, até mesmo quando estava em seus dias de folga. “Ele levava um rádio pra casa e ficava monitorando as ocorrências. Na maioria delas chegava primeiro que as equipes de plantão”, relembrou.

“Eu me aborrecia às vezes, mas também compreendia que ele amava o trabalho e se preocupava muito com os bombeiros”, conta a esposa e professora Maria Rodrigues de Cristo. A educadora brinca, no mais saudoso sentido do termo, ao relembrar de todo empenho que o marido mantinha à corporação. “Ele era fominha de ocorrências. Não media esforços para ajudar os irmãos de farda”, diz.

De Cristo começou a carreira na segurança pública do Estado de Rondônia no dia 16 de novembro de 1990, como soldado da Polícia Militar (PM). Já na fase embrionária do Corpo de Bombeiros (ele foi inicialmente uma ramificação da PM até tomar corpo e se tornar uma força independente). No dia 20 de maio de 2007, o capitão De Cristo acabou morrendo em um acidente de carro na BR-364, em Candeias do Jamari. O oficial deixou a esposa, com quem era casado desde o dia 2 de janeiro de 1998, e os filhos Alex Sandro Silva de Cristo, Taiane Ferreira de Cristo, Jorge Vinícius Silva Cristo e Isabel Cristina Silva Cristo.

 

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments