Confúcio Moura participa do lançamento do Edital de Licitação para construção da ponte binacional em Guajará-Mirim, ao lado do ministro dos Transportes

0
213

Além do lançamento do Edital de Licitação da ponte binacional, foram assinados e anunciados contratos para novas obras em todo o estado de Rondônia

O lançamento do edital para construção da tão sonhada Ponte Binacional Brasil/Bolívia em Guajará-Mirim, sobre o rio Mamoré, aconteceu nesta quarta-feira (14), no Ministério dos Transportes, com a presença do ministro Renan Filho, do senador Confúcio Moura, do ministro de obras públicas da Bolívia, Edgar Montano, de lideranças políticas municipais, estaduais e federais de Rondônia e da Bolívia, de representantes das embaixadas dos dois países, além de diretores do DNIT.

O ministro dos Transportes, Renan Filho, ressaltou que no dia 28 de dezembro deste ano será feita a abertura das propostas participantes da licitação para a construção da ponte. Ele informou ainda que o prazo para concluir o projeto executivo é de seis meses, e que no próximo ano deverá iniciar a obra. “Eu disse ao ministro de Relações Exteriores que acordo nacional e internacional demora mais do que obra. Porque obra depois que ela está acordada anda na velocidade da engenharia, é rápida”, explicou.

Renan filho disse ainda que espera que a construção da ponte gere mais de quatro mil empregos diretos e indiretos decorrentes do efeito renda. “Isso não é um efeito apenas econômico, vai ser muito superior a isso. Isso em decorrência da própria obra.  O Empreendimento irá conectar Porto Velho a La Paz, cuja ligação hoje é feita por balsas e fomentará transações comerciais entre Brasil e Bolívia”, enfatizou o ministro.

De acordo com o ministro, a construção da ponte binacional irá facilitar as exportações das regiões norte e central do Brasil para Bolívia, Peru e Chile, e, por consequência, para o mundo inteiro, por meio dos portos do Pacífico, ou seja, uma nova conexão.

Ao discursar no evento, o senador Confúcio Moura, presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, afirmou que a ponte binacional representa o cumprimento de um acordo internacional histórico. “Essa ponte veio lá do acordo de Petrópolis, em 1903, que já estabelecia essa relação comercial Brasil/Bolívia. Aí veio a ferrovia Madeira Mamoré, e agora culminou com a ponte que é uma necessidade maior e moderna de integração. Isto é, ligando o Brasil, Rondônia aos portos do pacífico, além de beneficiar comercialmente a Bolívia”, explicou o senador.

De acordo com o senador, a ponte vem consolidar um sonho antigo, e ele há de dar certo, porque, segundo ele, o avanço comercial para o mundo via pacifico é  uma necessidade. “Essa ponte vai puxar outros componentes, dentre eles por exemplo, os trechos rodoviários de aproximação boliviana e os trechos rodoviários encurtados do Brasil para Guajará-Mirim. Então é uma profecia que acontece agora com uma decisão política do presidente Lula e do presidente Luis Arce, da Bolívia”, destacou.

Também participaram da solenidade desta tarde o governador de Rondônia, Marcos Rocha; o embaixador do Brasil em La Paz, Luís Henrique Lopes; o ministro da Diretoria do Departamento de América do Sul do Ministério das Relações Exteriores, João Marcelo Galvão Queiroz; o secretário-executivo do Ministério dos Transportes, George Santoro; a secretária nacional de Transportes Terrestres, Viviane Esse; o diretor-geral do DNIT, Fabrício Galvão; os deputados federais Lúcio Mosquini e Maurício Carvalho; a deputada estadual Taíssa Silva, a prefeita do município de Guajará-Mirim, Raíssa Bento, e o alcaide do município boliviano de Guayaramerin, Ángel Reina.

Mais Obras para Rondônia

Ainda durante a solenidade, foi assinado o contrato para construção do viaduto na interseção da BR-364/RO com a BR-435/RO, no acesso para Colorado do Oeste – os investimentos somam R$ 28,7 milhões. O ministro Renan Filho também detalhou outros projetos prioritários para o Governo Federal em execução no estado, como:

a) Adequação da travessia urbana de Jaru, na BR-364;
Duplicação da ponte sobre o Rio Jaru;

b) Adequação da travessia urbana de Ji Paraná, na BR-364;
Construção de duas pontes na BR-425, uma sobre o Rio Araras e outra sobre o Rio Ribeirão;

c) Obras de manutenção da travessia de Itapoã do Oeste, na BR-364;

d) Licitação para construção do viaduto da BR-364, no trevo de Chupinguaia, com 15 quilômetros de terceiras faixas e um investimento previsto de R$ 67,8 milhões.

Renan Filho também destacou que o Novo PAC prevê R$ 21,3 bilhões em investimentos públicos e privados para a região Norte. Desse montante, cerca de R$ 4,2 bilhões devem ser aplicados nos seis projetos prioritários do Governo Federal em Rondônia – são cinco obras públicas e um investimento privado incluídos no Novo PAC.

Fotos: Assessoria e Luiz Siqueira MT