Com onda de calor, veja dicas para economizar na conta de luz

0
332

Uma brutal onda de calor atingiu o Brasil nos últimos dias levando o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a decretar um alerta vermelho, que é emitido quando um fenômeno meteorológico é de intensidade excepcional. Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo,  Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Tocantins estão entre os estados afetados, com temperaturas máximas acima de 5°C da
média do período.

O calor é comum nesta época do ano, mas tem sido intensificado pelo fenômeno El Niño, que é caracterizado pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico Equatorial e altera o regime de chuva e temperatura em grande parte do Globo, inclusive no Brasil. A onda de calor pode afetar a saúde mas também o bolso do consumidor já que o consumo de energia elétrica tende a aumentar, afinal, os eletrodomésticos passam a gastar mais energia para se manterem operando em altas temperaturas. Por exemplo, no ar – condicionado : em uma temperatura média externa de 30º ele aciona, trabalha, desliga e segue assim sucessivamente. Quando, por exemplo nas ondas de calor, a temperatura média externa sobe para 40º ele aciona, mas desliga bem menos e trabalha bem mais.

Para se ter uma ideia de como as altas temperaturas afetam o uso da energia, em Rondônia, no mês de outubro deste ano, o estado teve um consumo de energia 14% maior que no mesmo período de 2022, o que representa a quantidade de energia suficiente para abastecer as cidades de Ji-Paraná, Ouro Preto do Oeste e Presidente Médici durante um mês. Em novembro deste ano, nos primeiros doze dias, o consumo de energia no estado foi 21,74% superior ao mesmo período do ano passado.

Por isso, a Energisa dá algumas dicas para evitar surpresa quando a conta de energia chegar:

1-Para gastar menos, evite o uso da temperatura mínima do ar-condicionado (17º graus). O ideal é uma temperatura de 23º graus. Mantenha o filtro do aparelho limpo e deixe portas e janelas fechadas quando ele estiver ligado.

2 – Emendas em excesso ou instalações inadequadas podem gerar sobrecarga e aumentar o consumo, além do perigo.

3 – Invista nos espelhos em casa e no trabalho, assim como cores claras nas paredes, ideais para refletirem a luz natural.

4 – Desligue os aparelhos eletrônicos ao invés de deixá-los em stand by. A economia com isso passa de 12%.

5 – Evite colocar o chuveiro na potência máxima. Utilize o modo verão e reduza em até 30% o consumo.

6 – Posicione a geladeira em um local ventilado, longe do fogão. Sempre que possível, mantenha-a limpa.

7 – Jamais deixe os celulares carregando durante a noite enquanto você dorme. Isso aumenta o consumo.

8 – Plantas ajudam a refrescar o ambiente, realizando a troca constante do gás carbônico pelo oxigênio. Invista nisso.

9 – Dê sempre preferência às lâmpadas LED. Elas consomem até 80% menos que as lâmpadas convencionais.

10 – Sempre que possível, monitore o seu talão de consumo, identificando os meses em que o gasto é maior.