Coluna Zona Franca

0
159

  1. Por Roberto Kuppê (*)

    Asas da liberdade

    Muita emoção na chegada, ontem, dos 32 brasileiros (e palestinos), que estavam na Faixa de Gaza em meio aos bombardeios. Literalmente falando, eles estavam entre a vida e a morte. No Brasil, milhões acompanhavam o drama, através de relatos em vídeos de dois desses repatriados. Em seu “discurso”, de chegada, a jovem Shadd Albanna, 18, olhando nos olhos marejados de Lula, disse muito emocionada: “Agradeço muito, do fundo do meu coração, por todos nós que conseguimos chegar. Não estou conseguindo acreditar que estou aqui. Estou viva. Achei que ia morrer. […] Perdi muitos familiares e amigas”. A foto é de Ricardo Stuckert.

Asas da liberdade 2

 Hasan Habee também “discursou” emocionado: “Boa noite. Queria agradecer ao presidente, governo federal, Força Aérea e Itamaraty. A gente ficou lá 37 dias, muito sofrimento. Às vezes passamos fome e sede”, disse Habee. “O que está acontecendo lá é um massacre. Minhas filhas ficaram muito chocadas lá. Na primeira e segunda semana a gente mentia [para elas]. A gente falava que essas bombas [jogadas por Israel na Faixa de Gaza] eram de festas de aniversário, mas a gente não conseguiu segurar por muito tempo”, acrescentou ele.

Lula criticou Israel 

Mais uma vez, o presidente Lula se posicionou contra os atos de Israel contra civis, a maioria crianças, em Gaza. “Eu já vi muita violência, mas eu nunca vi uma violência tão brutal, tão desumana, contra inocentes. Se o Hamas fez o que fez, Israel comete o mesmo terrorismo. Crianças e mulheres não estão em guerra. Completa destruição de tudo com uma simples bomba, sem ninguém assumir responsabilidade. Que vocês tenham algum dia a liberdade de reconstuir seu país, como os judeus tiveram”, acrescentou Lula, dirigindo-se aos repatriados. A despeito de matar terroristas, a artilharia de Israel matou mais de cinco mil crianças. A coluna indaga se um ladrão entrar na casa do Benjamin Netanyahu, a ordem é atirar em tudo que se mexe e jogar bombas em todos os aposentos da casa.

Atos na Unir

Porto Velho terá hoje, terça, manifestação em defesa da Palestina. Diversas entidades de classe e ativistas estarão se reunindo para sair em marcha pelas ruas da capital rondoniense. A manifestação é convocada pelo Comitê de apoio à Resistência Palestina – Rondônia, pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO), Associação dos Docentes da Universidade Federal de Rondônia (ADUNIR-Seção Sindical do ANDES-Sindicato Nacional), Movimento Bem Viver – Rondônia, DCE/UNIR, SINASEFE, CACS/UNIR, CAGEO/UNIR, CAPED/UNIR, HISTEDBR/UNIR, NEHLI/IFRO, NEABI/IFRO, GTGA/UNIR, Grêmio Estudantil do IFRO e outras entidades. O ato terá concentração às 16h30 no prédio histórico da Universidade Federal de Rondônia (UNIR Centro).

Israel do bem

Esse Israel nada tem a ver com aquele país genocida. Trata-se de Israel Trindade, recém eleito presidente do Diretório Municipal de Porto Velho. Numa primeira entrevista, ele disse que a federação PT-PCdoB-PV vai lançar até 24 candidatos a vereador em 2024, sendo 12 do PT, 7 do PV e 5 do PCdoB. Ele garante que só o PT fará de 2 a 3 vereadores. Dentre os nomes citados, pelo PT, destacam-se os de Fátima Cleide, Ramon Cujuí, Sid Orleans, Hermínio Coelho e Soares da Costa, o Toco, do  STICCERO. Israel enfatizou que Lula obteve quase 100 mil votos em Porto Velho e 260 mil em todo o estado, o que representa 29,34% dos votos válidos. Como se vê, a prioridade do PT da capital será eleger vereador. Prefeitura, dependerá das circunstâncias.

Eleições 2024

Devem disputar a prefeitura de Porto Velho “alguns mais do mesmo”, ou seja, figuras carimbadas como Mariana Carvalho (Republicanos) e Léo Moraes (Podemos). Vez ou ou outra circulam nomes como o do deputado federal Fernando Máximo (União Brasil) e o Marcelo Cruz (PRD). PRD (Partido Renovação Democrática), é filho do PTB e do Patriotas, recém fundidos.

Nomes novos

É bem possível que novos nomes se submetam às urnas pela prefeitura de Porto Velho no próximo ano, dentre eles, do ex-conselheiro do Tribunal de Contas, Benedito Antônio Alves  (PSD). Benedito é muito capacitado para o cargo. Professor e conselheiro aposentado tem como principais bandeiras os princípios morais, éticos e a defesa da família, e defende a utilização racional e sustentável das potencialidades naturais existentes no solo amazônico, como forma de geração de riqueza, novos postos de trabalhos e redução da pobreza.

Nomes novos 2

Em termos de currículo, a biografia de Benedito Alves é extensa e rica em referências: possui títulos de Pós-Doutor pela UNIVALI – Universidade do Vale do Itajaí-SC; Doutor em Ciência Jurídica pela UNIVALI – Universidade do Vale de Itajaí-SC; Mestre em Direito Público, pela UNIFRAN (SP); Doutorando em Direito Público, pela UIB – Universidade das Ilhas Baleares (Palma de Majorca – Espanha); Pós-Graduado em Direito Penal e Processual Penal pela UNIT-Universidade Tiradentes-SE; Pós-Graduado em Direito Processual Civil pela UNIVALE-Universidade do Vale do Rio Doce-MG. Em Rondônia, já exerceu funções como auxiliar de farmácia, jornalista, tipógrafo, bancário, auxiliar administrativo, radialista e contabilista.

Novos nomes 3

Não é um nome novo, mas é um político novo. Trata-se de Vinícius Miguel (PSB), que poderá pilotar uma frente ampla pela capital do estado. Vini assumiu o comando do PSB recentemente, gerando várias reações, a maioria positiva.

Só o bagaço

O senador Jaime Bagatolli (PL-RO) ainda não se recuperou da rasteira que levou do colega Marcos Rogério (PL-RO). Abatido, ele disse que não tentará ser candidato ao governo de Rondônia em 2026. Ambos bolsonaristas, votam sempre contra o governo, conforme a orientação do ex-presidente, o tri-inelegível Jair Bolsonaro (PL-RJ). 

Grande dia!

DOU – Governo Lula dá ''pontapé inicial'' à construção da ponte binacional que ligará Brasil à Bolívia em Rondônia | Geral | Rondônia DinâmicaHoje, às 15h, na sede do Ministério dos Transportes, na Esplanada dos Mistérios, em Brasilia, acontece o lançamento oficial da  licitação para a construção da ponte binacional Brasil-Bolívia. A solenidade será dirigida pelo ministro dos Transportes, Renan Filho (MDB-AL), e pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO). A obra, que será construída sobre o rio Mamoré, ligará as cidades de Guajará-Mirim, em Rondônia, e Guayaramerín, em Bêni. Ela terá 1,22 Km de extensão e proporcionará a instalação de um complexo de fronteira medindo 9.282 metros quadrados e 3,7 Km de pistas e acessos. A previsão é de que toda a construção leve três anos. O projeto foi aprovado pela comissão binacional dos países vizinhos e pretende fortalecer os laços geopolíticos entre as duas nações. O evento contará com a presença do governador de Rondônia, Marcos Rocha(União Brasil), do ministro de Obras Públicas, Servicios y Vivienda da Bolívia, Edgar Montaño, bem como representantes da Embaixada da Bolívia em Brasília e do Brasil em La Paz, que participarão por videoconferência.

Grande dia! 2

Este martes lanzarán la licitación para la construcción del puente internacional binacional Guayaramerín (Bolivia) – Guajará Mirim (Brasil), confirmó el ministro de Obras Públicas, Servicios y Vivienda, Edgar Montaño.  “Estaremos presentes el martes, a las 15h00, hora brasileña, (en Brasil) para el inicio de la licitación internacional de este puente tan añorado para Bolivia”, explicó en Bolivia TV.  Los presidentes Luis Arce y Luiz Inácio Lula Da Silva acordaron la licitación integral para la construcción del puente, tomando en cuenta los ajustes propuestos por el Estado boliviano. El puente binacional Guayaramerín-Guajara-Mirim será construido bajo la modalidad “llave en mano” o “licitación integral”, lo que permitirá que en el proyecto se incorporen las modificaciones planteadas por Bolivia para garantizar la navegación fluvial y terrestre con destino al Atlántico, explicó Montaño. La obra será financiada por Brasil con hasta $us 70 millones, en cumplimiento del Tratado de Petrópolis de 1903. El documento de Petrópolis fue firmado el 17 de noviembre de 1903 en la ciudad brasileña de Petrópolis, por el cual Bolivia cedió una superficie aproximada de 191.000 km², que corresponden al actual estado del Acre, Brasil. Ya en 1867, por el “Tratado de Paz y Amistad”, había cedido otros 164.242 km² de la región del Acre que fueron anexados por Brasil a la entonces provincia y actual estado de Amazonas. El puente binacional que pasa sobre el río Mamoré, Beni, es una deuda “histórica” que deviene del Tratado de 1903. (Por Nodal)

Hospital de Guajará

Pode ser uma imagem de hospital e textoEnquanto isso, as obras da conclusão do Hospital de Guajará-Mirim estão a todo vapor. Além do empenho pessoal do dono da construtora A.C. Faustino, Adenilson Casagrande Faustino, políticos da região dão uma passadinha diária no local. E, para que não se percam no prazo, o Mais RO disponibiliza uma “contagem regressiva”, pela qual faltam 329 dias para a conclusão. A contagem começou no dia 8 de outubro, data do anúncio pelo governador Marcos Rocha, da assinatura da ordem de serviço. A empresa, porém, garante que vai entregar antes, em agosto. A conferir.

Rômulo Furtado

Imagem de cabeçalho do siteA coluna conversou com o ex-ministro das Comunicações Rômulo Furtado, e ele negou que tenha vendido a Band TV de Porto Velho (e Cacoal). “Só vendi o SBT”, disse, afirmando que a equipe dele vai tocar a Band TV em Rondônia. Os novos donos do SBT ocuparão o mesmo prédio, mas em breve terão novo local.

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político.

Informações para a coluna:  [email protected]

(*) O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Mais RO não tem responsabilidade legal pela opinião, que é exclusiva do autor.

FOTOS Já em Brasília, grupo de brasileiros é recepcionado por Lula e ministros