Quarta de cinzas

E acabou o “carnaval”. A “quarta de cinzas” veio com a boa notícia da prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), determinada pelo ministro Alexandre de Moraes (STF). O colegiado do órgão deverá confirmar a decisão de Moraes. E o pior (ou melhor) está por vir. O PSL nacional não gostou nada da atitude do deputado e promete expulsá-lo. O próprio presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) disse que a vontade de um não pode prevalecer pelo coletivo. Ou seja, pode vir cassação de mandato por aí. Silveira é aquele cidadão que fez campanha em cima do cadáver de Marielle Franco, rasgando a placa que homenageava a vereadora ativista assassinada há mais de dois anos.

A expulsão de DS

A direção nacional do PSL decidiu que irá expulsar Daniel Silveira do partido, após o vídeo que publicou com ataques ao STF, que levou à sua prisão na noite de ontem. A Executiva do partido entendeu que o parlamentar ofendeu de “maneira vil” a honra dos ministros do STF e repudia com veemência os ataques disparados por Silveira no vídeo de ontem. Foram 20 minutos de pesadas críticas a ministros do tribunal, com xingamentos, ameaças físicas e até citação do AI-5. “Os ataques, especialmente da maneira como foram feitos, são inaceitáveis. Esta atitude não pode e jamais será confundida com liberdade de expressão, uma conquista tão duramente obtida pelos e que deve estar no cerne de todo o debate nacional”, diz nota divulgada pelo PSL. A Executiva, ao final, diz que tomará todas medidas para o “afastamento definitivo do deputado dos quadros partidários”. A sua expulsão. As informações são da revista Veja.

E acabaram-se as vacinas! 

Enquanto o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) passeia pelo sul maravilha, milhões de brasileiros estão sem se vacinar porque, simplesmente, acabaram-se as vacinas. O ministro da Saúde (ou da Morte), general Eduardo Pazuello, que pegou a pasta quando tinham pouco mais de duas mil mortes em todo o País, precisa ser responsabilizado pelas mais de 242 mil vidas de brasileiros que se foram para sempre.

O caso Daniel Pereira

Em Rondônia há um caso envolvendo o ex-governador Daniel Pereira (Solidariedade) que está sendo vítima de perseguição política policial. Um vídeo reportagem da SICTV denuncia essa perseguição arbitrária e criminosa contra a pessoa de Daniel que também é ex-deputado estadual. Com a consciência tranquila, DP faz sua defesa contra acusações de mal feitos quando governador do Estado de Rondônia. Veja o vídeo abaixo, quando um delegado afirma que cometeram erros contra Daniel Pereira e temem ser desmoralizados perante a opinião pública:

 

Eleições 2022

O ex-governador Daniel Pereira (SDD) também estará no páreo em 2022. Embora esteja empenhado apenas em se defender de acusações infundadas contra ele, também poderá estar no pleito sucessório. Seja como titular, ao governo do Estado, seja como candidato ao Senado Federal e até mesmo a deputado federal. Quem sabe uma dobradinha com o ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB). Ou até mesmo como vice de Hildon Chaves (PSDB). DP tem nome e um legado de bons serviços prestados ao Estado.

Sucessão estadual

Dificilmente, diante do fracasso perante o enfrentamento da pandemia no estado, o governador coronel Marcos Rocha (sem partido), deverá ser reeleito. Não há esse clamor e nenhuma chama de esperança no ar. Então, os favoritos continuam sendo os mesmos Hildon Chaves (PSDB), Jesualdo Pires (PSB), Marcos Rogério (DEM), Ramon Cujuí (PT) e até mesmo o ex-candidato ao Senado, o pecuarista vilhenense Jaime Bagattoli (PSL). Bagattoli, por sinal, estaia se preparando para dar o troco no governador, que deu uma rasteira nele nas eleições de 2018. JB praticamente bancou a campanha de MR ao governo, mas foi passado para trás. Coisas de bolsonaristas.

 

Os fortes para estadual

O advogado especialista em previdência e demais causas humanitárias, Dr. Welisson Nunes (PDT) é um dos mais fortes para a Assembleia Legislativa de Rondônia. Quase eleito prefeito de Nova Mamoré, WN é nome citado em todas as rodas de conversa como virtual deputado eleito em 2022. Também despontam como favoritos Luciana Oliveira (PT), Claudia de Jesus (PT), Samuel Costa (PCdoB), Aleks Palitot (PTB), Raí Ferreira (PSD) e Dabson Bueno (MDB).

Facebook Comments