COLUNA POLÍTICA E PODER

POLÍTICA E PODER

COLUNA2Por Roberto Kuppê (*)

REINÍCIO

Boa semana a todos.  A coluna “Política & Poder” está de volta em um momento em que Rondônia vive uma crise institucional. O governador de Rondônia (PMDB) está no olho do furacão acusado de ser o mentor intelectual de uma quadrilha que assalta os cofres públicos. É preciso calma e discernimento nesta hora. O perfil do governador não é este. É um político culto (coisa rara) e muito competente. O que dizer nesta hora? Esperar o desenrolar das investigações sem fazer julgamentos apressados.

CONFÚCIO

Muitas pessoas estão saindo em defesa do governador. Uma delas, o secretário da Educação, Emerson Castro, com muita propriedade, disse nas redes sociais que “não saberia trabalhar com um governador que não admirasse e respeitasse. Tenho profunda admiração pela honradez e caráter desse homem. Hábitos políticos pouco republicanos, barganhas em desfavor da população, decisões egoístas, estão sendo pouco a pouco, expurgados da vida pública de Rondônia. As escolhas feitas nesse governo e a forma democrática e transparente com a qual nosso governador trabalha tem permitido uma profilaxia em Rondônia. Há resistências que insistem em macular o trabalho feito e tentar dominar a mente das pessoas com desinformação e nebulosidade. Os que tentam fazer com que ‘todos os gatos pareçam pardos’, vão fracassar. A mais forte e obscura mentira, não apaga o brilho da mais singela verdade”.

CONFÚCIO 2

O erro do governador será, talvez, não exonerar ninguém ou afastar imediatamente alguns assessores envolvidos na Operação Plateias. Outro sinal de erro é o fato do governador tardar para mudar o secretariado e assessores para o segundo mandato.

BOQUIRROTO

É impressionante a falta de credibilidade do presidente da Assembleia Legislativa, Hermínio Coelho (PSD). Tudo que ele fala não ecoa entre os pares. Oportunista, não perde a chance de aparecer e parecer o paladino da moralidade. Quem nomeia jornalistas fantasmas para defendê-lo não merece apoio popular.

EXPEDITO

Outro político rondoniense que mancha o nome do Estado é Expedito Júnior, proprietário de empresas de vigilância, a maioria em nome de laranjas. Durante a Operação Plateias, a casa dele foi devassada pela Polícia Federal. Ele é investigado por contratos de licitação fraudulentos mediante propina.

CORRUPÇÃO

O problema na da corrupção no Brasil é a impunidade e as penalidades brandas sofridas por maus gestores da coisa pública. É preciso mudar as leis e penalizar até com prisão perpétua quem saqueia os cofres públicos. A corrupção está por todos os lugares. Não é privilégio apenas dos políticos. O eleitor brasileiro é um dos maiores culpados pela corrupção no Brasil.

 

EM PORTO VELHO

O colunista esteve na capital de Rondônia por três semanas e notou muitas mudanças, umas para o bem outras nem tanto.  O que foi constatado é que Porto Velho necessita urgentemente de mudar a iluminação, ter mais calçadas nas ruas e erradicar os buracos das vias públicas. A cidade cresce na proporção inversa aos benefícios que recebe.

BOM EXEMPLO

A Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Juventude (CMPPJ) realiza o projeto ‘Caravana da Juventude’, no dia 27 de novembro, na Unidade de Internação Provisória e Sentenciada Feminina, situada na Avenida Jorge Teixeira, nº 2489, no Bairro Liberdade. Esta será a terceira edição do projeto realizada exclusivamente para promover, neste mês de novembro, atividades de saúde e lazer para jovens homens e mulheres das Unidades de Internação Sentenciada. De acordo com o coordenador de Juventude, Bruno Eduardo, os trabalhos realizados são fundamentais para o desenvolvimento social destes jovens que cumprem medidas socioeducativas.

CALIXTO

Tivemos uma longa conversa com o empresário Mário Calixto Filho que está “exilado” na Bolívia. Ele manifesta um grande desejo de voltar ao comando do jornal O Estadão do Norte. Para ele, o periódico precisa voltar a ser o mais importante jornal do Estado.

OPERAÇÃO SORRISO

A Operação Sorriso chega à Porto Velho pela primeira vez, de 8 a 13 de dezembro, para a realização de 65 cirurgias gratuitas em pacientes com fissuras labiais (lábio leporino) e/ou palatais (fenda palatina), no Hospital Santa Marcelina (Rod. BR-364, KM 17 – Zona Rural). Para participar, é necessário realizar inscrição prévia, apenas comparecer ao local no dia indicado levando documentos de identificação do paciente e também do responsável. Pacientes e mais um familiar que residam fora de Porto Velho poderão solicitar hospedagem gratuita no dia da seleção. A Operação Sorriso também oferecerá transporte do local da hospedagem ao hospital Santa Marcelina, além da alimentação sem custo. Informações: através dos telefones (69)3218-2211 e (69) 8110-3881.

 

NOVA ENCHENTE

 

Promete ser devastadora a nova enchente que está na iminência de ocorrer de novo em Rondônia, Acre e Bolívia. O Mais RO entrevistou o engenheiro boliviano Walter Justiniano que deu estarrecedora informação de que a tragédia de 2014 poderá se repetir com mais força em 2015.

 

LIVRO

 

O colunista finaliza o livro “RK-A minha historia”, contando bastidores da vida deste que já foi um dos articulistas mais importantes do Estado com ramificações em Brasília. O livro é quase uma biografia, mas, permeado de história de nossa política e assuntos polêmicos. Vai dar o que falar.

 

NATAL

 

Para muitos como eu, o Natal é uma triste data. Por que o Natal é uma data triste? Porque muitas crianças pobres não vão receber presentes. Muitas crianças estarão trabalhando no Natal ou mendigando pelas ruas. Se cada um de nós adotasse dez cartas postadas nos Correios endereçadas ao Papai Noel, com certeza milhares de crianças sorrirão em vez de chorar neste Natal.

PARA REFLEXÃO

Matar nunca. Quando você for tomado por um ódio gigantesco e que só matando resolve, para e pense um pouco. Pense que a pessoa pode ser um pai de família. Que a pessoa pode ser um filho querido. Ou um esposo querido. Mas, pense também que esta pessoa é fruto da criação de Deus. Que foi um bebê, assim como você. Melhor ainda: imagina você tendo que construir uma pessoa. Você seria capaz de construir, fabricar uma pessoa? Claro que não. Então você não tem também o direito de tirar a vida desta pessoa.

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista. A coluna pode ser reproduzida em outros veículos de comunicação.

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments