A consolidação da compra dos primeiros lotes da vacina Sputnik V, pelo Governo de Rondônia, vai depender da celeridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O imunizante contra a covid-19 é desenvolvido pelo Governo russo. As doses serão utilizadas para acelerar o processo de vacinação nos 52 municípios.

Após a última reunião entre a Anvisa e os 12 governadores que já assinaram o contrato para adquirir o insumo, o órgão federal tem dado sequência ao processo, a fim de auxiliar o Governo russo na conclusão do processo burocrático para a importação da vacina.

De acordo com o Governo Federal, uma das últimas ações da Anvisa em relação ao assunto será o envio de técnicos à Rússia para a realização de inspeção às empresas fabricantes JSC Generium e UfaVita, a fim de avaliar suas condições e obter mais informações acerca da fabricação. A visita está prevista para acontecer entre os dias 19 e 23 de abril. Em relatório apresentado aos governadores durante reunião virtual que aconteceu no início do mês de abril, a Anvisa explicou detalhes técnicos que devem ser levados em consideração para a autorização da importação das vacinas. Dentre eles, estão as reações adversas registradas em pessoas que receberam o imunizante, a temperatura em que as doses são armazenadas e principalmente detalhes acerca do estudo clínico.

No final da semana passada o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres se reuniu com o embaixador da Rússia no Brasil, Alexey Labetskiy, para tratar dos detalhes do processo de importação das vacinas. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha se reuniu com o presidente da república, Jair Bolsonaro e solicitou celeridade na consolidação do processo de importação das doses. Ainda durante a audiência, Marcos Rocha explicou a Bolsonaro que Rondônia recebeu (na data da audiência) mais de 200 mil doses de vacinas contra covid-19 encaminhadas pela União.

ENTENDA O PROCESSO

O Governo de Rondônia pertence ao consórcio de 12 estados que já assinaram contrato com o Fundo Soberano Russo e se comprometeram com a compra do lote de vacinas contra a covid-19. A Anvisa precisa autorizar o pedido de importação excepcional de vacinas e insumos para que a Sputnik V seja distribuída.

Após a visita dos técnicos da Anvisa aos laboratórios russos, a agência federal brasileira vai emitir sua decisão. Nesta semana, uma decisão do ministro Ricardo Leandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) pressionou a agência. O magistrado deu 30 dias para que a mesma conceda aos estados brasileiros a autorização.

AUTORIZAÇÃO

O Poder Executivo Estadual encaminhou à Anvisa no dia 31 de março a solicitação de autorização para importação dos insumos. O contrato que celebra a compra dos produtos por parte do Governo de Rondônia junto ao Fundo Soberano Russo já está assinado. O que falta é apenas a autorização. O Ministry of Health of The Russian Federatrion, que é o órgão sanitário russo com as mesmas atribuições da Anvisa já liberou a comercialização da Sputnik V, que é registrada no país que a produz.

Fonte: Secom

Facebook Comments