Termina na próxima sexta-feira (13) a primeira etapa da campanha de vacinação contra o Sarampo, que é direcionada a crianças de 5 anos até jovens de 19 anos. Porém, na capital Porto Velho, a procura ainda tem sido baixa para algumas faixas de idade, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

“Por enquanto, estamos com uma procura considerável diante do público de seis meses a menor de 5 anos, mas ainda tem uma cobertura baixa entre 5 e 19 anos, que é o público preconizado para esta campanha. Há uma baixa menor ainda entre 9 e 12 anos, que são os adolescentes e é o mesmo público de HPV”, detalhou a coordenadora de imunização da Semusa, Elizete Gomes.

Este ano, uma bebê morreu vítima da doença. O pai da menina contou que ela e a irmã gêmea tiveram sarampo. Ainda houve um caso suspeito em um bebê indígena. Em 2018, Rondônia contabilizou quatro casos de sarampo em pacientes que vieram de outros estados.

Apesar da capital registrar baixa na procura pela dose, a cobertura vacinal é considerada boa no estado. Segundo a Semusa, mesmo quem não conseguir se imunizar dentro do prazo, poderá procurar pelas unidades de saúde depois.

“Continuamos com a vacinação de crianças de seis meses a 1 ano, além da nossa rotina, que é de 1 a 49 anos para o sarampo. É importante lembrar que a vacina é trivalente: rubéola, sarampo e caxumba”, reforçou Elizete Gomes.

Quem deve se vacinar

  • Ao completar 12 meses, bebês devem tomar uma dose da tríplice viral. Aos 15 meses, devem tomar uma dose da tetravalente.
  • Pessoas de 12 meses a 29 anos de idade devem ter duas doses da tríplice viral comprovadas. Se não está marcada na carteirinha ou não se lembra, deve procurar uma UBS e regularizar a situação;
  • Adultos de 30 a 59 anos devem ter pelo menos 1 dose da tríplice viral;
  • Adultos com mais de 60 anos não precisam se vacinar, por já terem tido contato com a doença no passado;
  • A vacina não é indicada para mulheres grávidas e pessoas com problemas na imunidade.

O que causa o sarampo?

  • A transmissão do vírus ocorre entre pessoas e acontece pelo ar.
  • Pode ser via tosse, espirro, fala ou respiração.
  • Uma pessoa infectada pode passar para 90% das pessoas próximas não imunizadas
  • A transmissão pode acontecer 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas.

Vacinas que imunizam do sarampo

  • Dupla viral – Protege do vírus do sarampo e da rubéola.
  • Tríplice viral – Protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola;
  • Tetra viral – Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora).

Há tratamento contra o sarampo?

Não existe tratamento específico para o sarampo. Para os casos sem complicação, é importante manter uma boa hidratação, suporte nutricional e diminuir a hipertermia. Quando o quadro se agrava e surgem, por exemplo, diarreia, pneumonia e otite média, essas situações devem ser tratadas, normalmente, com o uso de antibioticoterapia.

No caso de crianças acometidas pela enfermidade, a OMS recomenda a administração de vitamina A, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais.

Fonte: G1

Facebook Comments