Biblioteca virtual criada por professora da rede estadual incentiva leitura aos estudantes de Colorado do Oeste

Desde o início da pandemia, com a suspensão das aulas presenciais, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria do Estado da Educação (Seduc), vem buscando alternativas de adaptação que possam incentivar a aprendizagem dos alunos da rede pública. Com o principal objetivo de cumprir com o papel de educar, os professores da rede estadual seguem continuamente buscando alternativas que possam manter a qualidade de suas aulas, mesmo que de forma remota, atraindo a atenção do educando para novas ideias, como a criação de uma biblioteca virtual através de uma educadora de Colorado do Oeste.

A professora Clezilaine de Souza Chaves trabalha com o 7º e 8º ano do Ensino Fundamental, lecionando a Língua Portuguesa na Escola Paulo de Assis, e construiu uma Biblioteca Virtual, atraindo a atenção dos alunos, professores e supervisores para a novidade que pode ser utilizada pelo celular, tablet ou computador.

Clezilaine conta que a ideia surgiu no início do ano letivo, quando no primeiro encontro virtual com os alunos do 8º ano, em que foram apresentadas as ações de um projeto denominado “Influenciadores da leitura”. Na oportunidade, os alunos relataram o gosto pela leitura, mas lamentavam por não terem livros em casa.

Diante da situação, a professora iniciou uma busca de ideias e sobre como disponibilizar obras em PDF para os alunos. Foi quando resolveu criar uma biblioteca virtual e após constatar que era uma boa forma de levar a leitura aos alunos, compartilhou a ideia com a professora Ilmara Balbino, que leciona Língua Portuguesa nas turmas de 6º ano. “Ela adorou a ideia e prontamente produziu a sua biblioteca. A partir de então, a ação vem sendo compartilhada com professores de diversos estados”, revelou.

Com os resultados positivos, professores e supervisores apresentaram interesse em criar as suas próprias bibliotecas virtuais. Pensando em como ajudá-los, a direção escolar sugeriu que a professora criasse um tutorial de modo que outras pessoas possam aderir.

A pedagoga explica que no modelo de biblioteca virtual com link clicável as obras em PDF não são baixadas, ou seja, os links de uma página online https://lelivros.love/ são disponibilizados gratuitamente e permite desenvolver esse trabalho sem a necessidade de baixar a obra em PDF. Porém, ao acessar a página, o aluno pode fazer o download da obra de interesse e também tê-la salva no computador ou celular para ler quando desejar.

No momento, a escola possui duas bibliotecas virtuais, porém, já está sendo criada uma biblioteca virtual para o 7º ano, que possivelmente contará também com áudio-book.

“Como o acervo da biblioteca virtual é renovado bimestralmente, tenho recebido constantemente sugestões de obras que eles desejam ler nos próximos bimestres. Isso faz com que nos sintamos realizados enquanto professores de uma instituição de ensino que se sente responsável por levar um ensino de qualidade aos nossos alunos. É uma ideia que está dando certo e fica como sugestão para as demais escolas e professores que apresentarem interesse em desenvolvê-la. Visto que, a ideia pode ser aderida por professores de todas as áreas contemplando conteúdos e assuntos diversos”, finaliza a professora.

Para a Coordenadoria Regional de Educação (CRE), o incentivo à leitura sempre esteve em primeiro lugar nas metodologias da Educação e agora, diante da pandemia, tornou-se mais desafiadora a criação de ações que possam manter o aluno em uma rotina diária de estudo.

 

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments