ACORDO COMERCIAL BRASIL CHINA PODE TRAZER BONS NEGÓCIOS PARA RONDÔNIA

BRICS

Maior parceiro comercial do Brasil, com R$ 199 bilhões (US$ 90 bilhões) em transações no ano passado, a China pretende ampliar as relações com o País e atuar de forma coordenada em organismos internacionais multilaterais. Após cerimônia de assinatura de acordos bilaterais com a presidente Dilma Rousseff, o presidente chinês, Xi Jinping, defendeu também a “ampliação dos consensos”.

Já a presidente Dilma Rousseff destacou a disposição da China de investir em setores estratégicos no Brasil, como o de energia, por meio de parcerias na construção de hidrelétricas e de linhas de transmissão, e os de petróleo e aviação, com a compra de aeronaves fabricadas pela Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica).

Para Jinping, a China e o Brasil, como “importantes países do mercado emergente e encontrando-se como Estados-chave de desenvolvimento”, podem impulsionar também o avanço dos demais países em desenvolvimento.

RONDÔNIA

Desde 2011 que Rondônia vem estreitando relações com a China. Grupo de empresários chineses tem vindo ao Estado constantemente. Caravanas de empresários rondonienses fazem périplos comercias no país asiático. Com a vinda do presidente da China ao Brasil, os negócios com empresários rondonienses pode alavancar de maneira extraordinária.

Em 2012, Angelo Xu e Jacky Lau, estiveram em Porto Velho. Eles são diretores da empresa IMEX International Trading, que há três anos iniciaram uma rotina comercial que envolve passarem dois meses no Brasil e dois meses na China. No período em que estão em nosso país, buscam novos negócios, visando a exportação de produtos brasileiros para o mercado oriental e, de outro lado, a importação de produtos do Oriente para o Brasil.

Os chineses estão interessados em tudo que possa ser consumido na China, especialmente alimentos. Eles mostraram atenção especial na aquisição de miúdos de boi, que são muito apreciados em seu país. Tanto que já estão exportando um contêiner por semana, via estrada do Pacífico. “Mas isso é só o início”, garantem os dois empresários, que pretendem continuar visitando frigoríficos em todo o Estado.

CARNE

Com o desembargo da carne bovina para o mercado chinês, o setor vai “bombar” em Rondônia. Aumenta a possibilidade de exportações de produtos cárneos de Rondônia para mercados como Rússia, Oriente Médio, China e Taiwan.

Rondônia possui status de área livre de aftosa com vacinação”, destacou. Temos um rebanho estimado em 12,480 milhões de bovinos e um total de 17 frigoríficos com inspeção federal e outros cinco com inspeção estadual.

Além dos miúdos de boi, os chineses também conheceram detalhes sobre outros alimentos que fazem parte da atual pauta de exportações de Rondônia e podem interessar aos orientais, como a farinha de banana (produzida por uma indústria de Ariquemes), a produção do pirarucu em cativeiro (Rondônia é o único Estado com autorização para exportar) e o cultivo do cacau (produto que poderá vir a ser industrializado dentro do Estado).

CARAVANA PARA A CHINA
Uma caravana formada por empresários e autoridades de Rondônia esteve na China no ano passado. Tratou-se de uma ação do Programa de Ações de Promoção Comercial, desenvolvido pelo Sistema FIERO, por meio do Centro Internacional de Negócios de Rondônia (CIN/RO).
O programa visa propiciar a participação das pequenas e médias empresas em feiras internacionais de referência. “A participação nos eventos pretende colocar nossas empresas em contato com mercados estrangeiros para que possam se apresentar internacionalmente, manter contatos com potenciais parceiros, conhecer seus concorrentes, identificar novas tecnologias e técnicas de produção, e também aprofundar informações sobre o mercado mundial para seu produto ou serviço”.
Baú destacou ainda que “a Missão Empresarial à China, realizada pela Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO) foi organizada pela competente equipe do Centro Internacional de Negócios de Rondônia (CIN/RO). E contamos também com o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI)”.
A comitiva empresarial rondoniense participou em Guangzhou, de uma  feira que teve duração de três dias. Logo após foram para Hong Kong, onde visitaram o CECOM, Centro Comercial no Ministério de Relações Exteriores. Em seguida os empresários seguiram para Pequim, onde visitaram a APEX.
Maisro.com com informações da Fiero
Facebook Comments