29 C
Porto Velho
quinta-feira, agosto 18, 2022

Buy now

spot_img

17 metros: Rio Madeira está enchendo e autoridades não estão informando à população

Não há dados atualizados nos sites dos governos federal, estaduais e municipais no que se refere à cheia do rio Madeira que já está atingindo níveis de 2014, ou seja, atingindo o mercado do produtor e podendo chegar à EFMM, que está em obras de revitalização. Segundo o G1, a cota hoje estava em 16,3 metros, 70 centímetros da cota de inundação, que é de 17 metros.

As cheias do Rio Madeira são esperadas pela população de Porto Velho no período de outubro a abril. O aumento dos níveis ocorre a partir da coleta da água da chuva pelos rios do sul do Peru e de quase toda a extensão da Bolívia. Suas águas barrentas (ricas em sedimentos) refletem o nascedouro nas cordilheiras dos Andes. Essas águas encontram as águas negras do Rio Guaporé, que nasce em Mato Grosso na altura de Guajará-Mirim. No total, tem-se quase um milhão de km2 de área de coleta da chuva.

Nesse período, considerado o inverno amazônico, as chuvas concentradas na região do rio Madre de Dios, peruano, e Mamoré, boliviano, provocam picos de cheias no distrito de Abunã e Porto Velho, bem acima da normalidade. Por três ocasiões, o nível do rio ultrapassou a máxima histórica registrada nos últimos 50 anos nos respectivos períodos (veja gráfico). A primeira ocasião foi dia 08 de outubro de 2013, quando o pico do Rio atingiu a cota de 11,47m quando o máximo histórico dos últimos 50 anos era de 9,23m. Em dezembro de 2013, o nível do rio surpreendeu novamente ultrapassando em mais de 1,5m a cota máxima histórica do período.

Há um mês, a CPRM informou que a Bacia do rio Madeira não deverá alcançar a cota de inundação neste ano, segundo indica o prognóstico do Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM). A informação foi divulgada no dia 1 de fevereiro durante a live Pré-Cheia 2021, transmitida on-line, pelo YouTube, com a participação de integrantes do Centro Regional de Porto Velho e da Defesa Civil Nacional. A transmissão abordou os aspectos hidrometeorológicos da bacia do Amazonas, além de destacar as ações de Defesa Civil na gestão de desastres ambientais.

“Estamos considerando probabilidades ainda pequenas de que chuvas muito acima das normais ocorram. Nesse cenário, de chuvas próximas às normais, ou ainda, acima das normais, mas não tão extremas, nós estimamos que a probabilidade de inundação, a partir da cota de 17 metros, é pequena. Caso chuvas excepcionais sejam observadas nas bacias do Beni, Mamoré e Guaporé, a chance de inundação poderá aumentar. Contudo, não existe ainda, previsão de que tal cenário ocorra. Estimamos que o mais provável que ocorra níveis próximos ao de alerta, que foi o que aconteceu no ano passado” , disse Marcus Suassuna, pesquisador em Geociências e engenheiro hidrólogo do SGB/CPRM responsável pelo Sistema de Alerta Hidrológico do rio Madeira.

Não há dados oficiais atualizados sobre a atual cota do rio Madeira, na região de Porto Velho. Um internauta mandou esta foto que ilustra a capa desta reportagem feita hoje, 2 de março de 2021. Mostra claramente que o rio Madeira avança para inundação. No Cai Nágua, o rio já atingiu o Mercado do Produtor.

O Jornal de Rondônia (Globo) fez pela manhã desta terça-feira, 2, uma apanhado da enchente. Segundo o G1, falta apenas 70 centímetros para atingir a cota de 17 metros, que significa inundação. Veja a reportagem   AQUI.

Fonte Mais Rondônia

Related Articles

REDES SOCIAIS

0FansLike
3,438FollowersFollow
0SubscribersSubscribe
- Advertisement -Governo de Rondônia

Latest Articles