Vlogueiros de Porto Velho fazem sucesso com postagens humorísticas

vlogPor Portal Amazônia

PORTO VELHO – Mês de maio é delas: das mães. Consideradas super-heroínas e melhor amiga pelos filhos, as mães apresentam formas peculiares ao disciplinar o que gera cenas engraçadas. Essa é a inspiração de um dos mais recentes vídeos dos gêmeos vlogueiros de Porto Velho, sucesso nas postagens humorísticas através do canal no YouTube ‘O Que Não Dizer Oficial’.

O ‘Rap das Mães’ atingiu a marca de 90 mil exibições em menos de um mês. Na postagem, fatos comuns do cotidiano da relação entre mães e filhos é relatada de forma bem humorada. Acordar cedo, fazer as tarefas de casa e o desempenho na escola são temas abordados no rap que ressalta frases típicas das mães.

 

E é nos fatos cotidianos que Willou e Watson Alves, de 21 anos, se inspiram. Os jovens humoristas começaram a gravar vídeos em agosto de 2010. Os irmãos contam que antes se apresentavam em salas de aula, mas a ideia das postagens surgiu devido ter visto o trabalho feito por outros humoristas no YouTube como Felipe Neto, um dos vlogueiros mais famosos do Brasil.

Originalidade

Os vídeos postados pelos gêmeos são classificados como vlogues que vem fazendo sucesso no Brasil desde 2010. São vídeos postados por pessoas comuns sobre os mais diversos assuntos e publicados no canal de vídeos, YouTube. Além de Felipe Neto, outros vlogueiros como Whindersson Nunes, Kaio Oliveira e Kéfera e humoristas como o Eros Prado, Tirullipa e Gustavo Mendes também são inspirações para Willou e Watson.

Mas os irmãos ressaltam que a originalidade é essencial para ‘O Que Não Dizer Oficial’. O primeiro vídeo da dupla abordou o tema ‘cantadas’ e foi gravado no banheiro. Mas foi com a postagem sobre mulheres que os gêmeos perceberam que o trabalho agradava o público.  ‘‘Foi um vídeo que repercutiu bem entre nossos amigos. E, vimos que embora as exibições eram poucas nossos amigos e algumas pessoas que assistiam gostavam’’, conta Willou.

Sucesso

O sucesso chegou com o ‘Funk dos Magrelos’, postado ainda no primeiro canal da dupla no YouTube “oquenaodizer’’.  O canal foi rackeado e os gêmeos decidiram abrir um novo. Os gêmeos chegaram em desistir após as invasões no primeiro canal, mas permaneceram e hoje fazem do canal ‘‘O Que Não Dizer Oficial’’, prioridade.

Humor cotidiano, sem violência ou imoralidade é assim que os gêmeos definem o estilo das postagens. ‘‘Tentamos mostrar que é possível fazer humor com as coisas do dia a dia, sem usar palavrões e assuntos inapropriados’’, disse.

O que começou como uma brincadeira entre amigos, agora ganha destaque além das fronteiras do Brasil. ‘‘Uma surpresa total. Nunca imaginávamos tanto sucesso, porque no começo era pra ser só uma brincadeira para nossos amigos verem. E ficamos muito felizes ao saber que pessoas do Brasil todo, e até de outros países, gostam de nos assistir. É muito gratificante’’, afirma Willou. Originalidade e improvisação são marcas presentes no trabalho de Willou e Watson.

Criação

Willou explica como são planejados os vídeos. ‘‘O estilo é o mesmo desde o começo. Sentamos, debatemos sobre algum tema interessante e começamos a bolar um roteiro, mas sem nos prendermos a ele, pois a improvisação é legal. O assunto geralmente é sobre coisas que todo mundo passa no cotidiano. Gravamos e editamos em casa’’, conta.

Os vídeos da dupla são postados uma vez por semana, às segundas ou terças-feiras. Willou e Watson fazem estágio pelo período da manhã e são estudantes do 8ª período de engenharia civil no período da tarde. E ter tempo para as postagens humorísticas é um dos grandes desafios do momento.‘‘O tempo é nosso maior vilão. Às vezes temos apresentações para fazer em eventos, e o tempo é muito corrido. Fazer humor sem palavrão, sem assuntos imorais é muito difícil hoje em dia, porque atualmente os assuntos que mais repercutem são assuntos sem conteúdo interessante ou conteúdo imoral, humor com palavrões e etc. Tentamos ao máximo evitar isso devido ao nosso público’’, afirma.

 

 

Facebook Comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password