João Beto foi espancado por seguranças - Foto: Reprodução

A morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, às vésperas do Dia da Consciência Negra repercutiu em todo o Brasil nesta sexta-feira (20). O soldador foi espancado até a morte no supermercado Carrefour, em Porto Alegre.

João era soldador e deixa mulher e uma enteada. Um amigo descreveu João. Amigos descreveram João como um “cara gente boa”.

“Ele era esperto, brincalhão, amigo para toda a hora. Peguei meu celular agora de manhã e levei um choque. Éramos amigos desde a infância, nos criamos na mesma casa de religião, no batuque, na umbanda. Ele era tamboreiro. Estou fazendo 39 anos hoje, esse é meu presente“, disse André Gomes ao G1 RS.

João Beto como era chamado pelos amigos morava na comunidade Vila Farraps, na zona Norte de Porto Alegre.

O amigo Paulão Paquetá relembrou os hobbies do Beto. “Um cara legal, estava sempre junto de nós. Gostava de sinuca e futebol. Torcia para o São José. Todo fim de semana fazia churrasco pro pessoal do bairro. Era de boa”.

Os dois homens que aparecem nas imagens agredindo João foram presos, um deles é policial militar. A investigação trata o crime como homicídio qualificado.

O supermercado Carrefour disse em nota que lamenta o caso e está apurando para que os responsáveis sejam punidos. Já a PM informou que o policial é temporário e estava fora do horário de serviço.

Fonte: Portal do Holanda

 

Facebook Comments