Dados do ranking nacional do Inpe são referentes as últimas 48h.Capital lidera os números em RO com mais de mil focos registrados em julho.

queima2O Corpo de Bombeiros divulgou nesta quinta-feira (21) que Porto Velho é a segunda cidade do país com o maior número de registros de focos queimadas nas últimas 48h, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os números também revelam que a capital possui o maior registro de focos em Rondônia, com mais de mil casos registrados só no mês de julho, enquanto que em todo o estado foram 3,2 mil queimadas no período.

O primeiro lugar no ranking nacional é ocupado nas últimas 48h pelo município de Formoso do Araguaia (TO). Os números se alteram conforme atualização do Inpe.

Em Rondônia, de janeiro a julho de 2016, mais de 6,2 mil focos foram registrados. Quantidade superior aos registros do mesmo período em 2015, quando os números apontavam mais 1,9 mil casos. No ranking estadual do mês de julho, depois da capital, aparecem os municípios de Candeias do Jamari, com 229 focos, e Vilhena com 274 no mesmo período.

Segundo a corporação, os números são expressivos e se devem em parte ao período do verão amazônico que começou mais cedo e tem contribuído para o aumento do número das queimadas. No entanto, o capitão Sued Rocha do Corpo de Bombeiros, explica que na maioria dos casos a própria população é a responsável por iniciar o fogo.

“Os registros de queimada em área urbana acontecem por causa de limpeza em terrenos e muitas vezes foge do controle da população. O fogo acaba atingindo uma grande área e até mesmo consumindo imóveis”, disse.

O militar também alerta para os riscos no trânsito ocasionados pela fumaça. “Incêndios em beira de estrada são perigosos, pois atrapalham a visão dos motoristas por causa da fumaça. Tentamos conscientizar a população para que procure outros meios de limpeza”, conclui Rocha.

Para minimizar as estatísticas, o Corpo de Bombeiros realiza a campanha ‘Queimada Zero’, com ações de conscientização junto à comunidade para evitar a prática da queima.

O Corpo de Bombeiros deixa o número de telefone 193 disponível para denúncias de queimadas irregulares. Quando necessário, os militares realizam a fiscalização das áreas por via terrestre ou aérea com voos de monitoramento abordo da aeronave Cessna–210.

G1-RO

Facebook Comments