Wilken Soares Mendonça, que namorava a vítima, é procurado pela polícia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Três pessoas foram presas quinta-feira (6) na Operação Signos, com objetivo de prender os envolvidos na morte de um jovem homossexual, em outubro de 2019, na Zona Leste de Porto Velho. Segundo a Polícia Civil, a motivação do crime foi a orientação sexual da vítima.

Ao todo, a Justiça expediu 10 mandados, sendo seis de busca e apreensão e quatro de prisão. Apenas um mandado de prisão temporária não foi cumprido, pois o suspeito Wilken Soares Mendonça, de 23 anos, não foi localizado.

Outros dois homens foram presos e um menor de idade apreendido em flagrante por tráfico de drogas. Porções de crack, maconha e cocaína foram localizadas nos locais onde eles estavam.

Relação amorosa

A delegada do caso, Leisaloma Carvalho, explicou à imprensa que a vítima, Luiz Fernando França, com 20 anos na época, tinha um relacionamento amoroso com Wilken, mas também se envolveu com outros dois suspeitos.

“A vítima e os envolvidos se conheciam, eram pessoas do círculo da vítima. Inclusive a gente percebe que esse crime teria sido motivado pela orientação sexual da vítima, onde teria envolvimento amoroso com parte desses envolvidos”, contou.

Leisaloma diz que o jovem foi levado ao local do crime pelo então namorado, pois eles já tinham costume de frequentar o local. A motivação da morte seria a possível revelação, por parte de Luiz Fernando, sobre o relacionamento dos suspeitos com ele.

“Esses envolvidos não queriam ter essa relação revelada. Motivo pelo qual, a vítima passou a dizer que ia comentar, falar a respeito do envolvimento com eles e se sentiram ameaçados por conta disso, no sentido de seria divulgado a orientação sexual deles, algo que eles queriam manter escondido”.

A investigação continua na Delegacia de homicídios a fim de individualizar a conduta de cada suspeito e saber quem, de fato, desferiram esfaqueou a vítima.

Os presos em flagrante devem passar por audiência de custódia na tarde desta quinta-feira. Já os demais serão encaminhados ao presídio em cumprimento às prisões temporárias.

Busca por justiça

Logo no início da manhã, a mãe de Luiz Fernando foi até a Delegacia de Homicídios para acompanhar a prisão dos suspeitos da morte do filho.

Emocionada, Maria de França disse ao G1 que foi até o local pelo sentimento de busca da justiça.

“Foi muito emocionante, já chorei aqui. A prisão alivia, mas não traz meu filho de volta”, desabafou.

“Eu quero olhar na cara dele [suspeito] e perguntar porquê ele matou meu filho de uma forma cruel e por um motivo fútil. Meu filho era um amor de pessoa. Ele não se envolvia com esses meninos, era esses meninos que queriam se meter na vida dele porque meu filho era homossexual e eles são de facção e fingem que não gostam de gay”, disse.

Relembre o caso

Luis Fernando França Pereira foi encontrado morto no dia 22 de outubro de 2019, próximo à Estrada dos Periquitos, na Zona Leste de Porto Velho. O corpo do jovem tinha vários ferimentos causados por faca.

Próximo ao corpo, foi encontrada a motocicleta da vítima. Testemunhas disseram que Luiz tinha um relacionamento com homem e que havia sido ameaçado após uma briga.

Fonte: G1

Facebook Comments