Polícia Civil investiga queda de bebê de incubadora em UTI

A Polícia Civil do Pará investiga uma médica e uma técnica de enfermagem que estavam na UTI neonatal no momento em que uma criança de três meses caiu de uma incubadora em uma maternidade particular, em Belém. O caso, apresentado no último domingo (27) no Fantástico, está sendo investigado como lesão corporal, omissão de socorro e abandono de incapaz. Os pais da criança também entraram com um processo cível pedindo indenização ao hospital.

Em imagens de câmeras de segurança da UTI neonatal da Maternidade Saúde da Criança, é possível ver o momento em que a técnica de enfermagem coloca a criança no aparelho, mas trava apenas um dos lados da incubadora. O bebê começa a se mexer, solta a trava e rola para o chão. A ação ocorreu em um intervalo de 1h30, quando a mãe da criança havia saído para almoçar.

“Quando eu entrei na UTI, eu vi que todo mundo tava completamente diferente. As técnicas estavam muito assustadas e uma delas com a criança no colo. Teve um momento que ela virou a criança e eu vi um edema na cabeça. Eu perguntei: ‘pelo amor de Deus, o que foi isso? Minha filha caiu no chão?'”, relata a mãe da criança, Jéssica Machado.

De acordo com as câmeras de segurança, quem resgata o bebê é uma médica. Em seguida, a criança é entregue a uma técnica de enfermagem, que segura a criança em várias posições.

“Quando eu perguntei o que havia ocorrido, ela (enfermeira) disse que não tinha acontecido nada, que a criança tinha encontrado na porta da incubadora e formou aquele edema. Quando eu fui perguntar pra médica, ela disse que não tinha visto nada, que era pra eu ir na sala dos médicos perguntar alguma coisa”, conta a mãe.

A criança precisou ser transferida do hospital para que pudesse ser feito um exame de tomografia. Um laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) aponta que o bebê sofreu uma fratura craniana e um hematoma no couro cabeludo.

Em depoimento à polícia, a técnica de enfermagem disse que trancou a incubadora e que não contou o que tinha ocorrido para a mãe pois, segundo o protocolo, a médica é quem deve fazer isso. Já a médica que socorreu a criança negou que tenha mentido sobre a queda para a mãe.

Por telefone, a equipe do Fantástico tentou contato com as duas. A médica disse que não quis comentar o assunto e a enfermeira não atendeu.

Em nota, a Maternidade Saúde da Criança não informa que alguém da equipe médica foi afastada. Apenas disse que a instituição agiu com total transparência, e que sua equipe está treinada e atualizada com base nas mais modernas técnicas de atendimento médico.

Apesar do acidente, atualmente a criança está sem sequelas e se desenvolve sem problemas.

“Hoje, graças a Deus, ela vem caminhando de maneira positiva. Ela sofreu demais nesse início de vida. Consideramos ela uma grande vitoriosa”, afirma o pai da criança, Roberto Machado.

Fonte: G1

Facebook Comments