Pecuária de Rondônia investe na suplementação de qualidade e gestão profissional

A primeira propriedade visitada pela expedição do Confina Brasil em Rondônia, no município de Ji-Paraná, busca os bezerros no mercado, faz recria a pasto e termina em semiconfinamento.  “A fazenda recebe assessoria de uma empresa de nutrição, que a ajuda a fazer a dieta para o gado confinado, que inclui o uso de DDG”, informa Olavo Franco Bottino, médico veterinário e técnico do Confina Brasil. “Além disso, destaque para a qualidade do pasto. Entre os planos da propriedade está a engorda dos bovinos em sistema de confinamento. A empresária entende a importância da intensificação da produção”, reforça Bottino.

Importante organização empresarial de Rondônia, o Grupo Rovema iniciou recentemente seu projeto de terminação intensiva de bovinos na Fazenda Serra Verde, em Porto Velho. Vindo do Paraná para atuar na manutenção de máquinas pesadas, o grupo cresceu, tem sua rede de concessionárias, inclusive a Fiat, patrocinadora da expedição, e adquiriu grande volume de terras, nas quais desenvolve seu projeto pecuário. “O investimento avança, com planos de expansão de uma unidade de confinamento para 5.200 cabeças. O grupo faz recria e engorda, além de investir na seleção de gado Nelore PO e CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção). A dieta inclui soja integral. O grupo criou sua própria marca de nutrição animal, para formulação de núcleo e ração para o confinamento”, explica Eduardo Henrique Seccarecio, engenheiro agrônomo e analista de mercado da Scot Consultoria. “Todo o milho produzido nas propriedades do grupo é usado na fábrica própria. O negócio cresce e avança para fora do estado”.

Em Rolim de Moura, o Confina Brasil visitou um confinamento  que presta serviços para pecuaristas da região, como boitel, remuneração por arroba produzida, porcentagem e outras modalidades de parceria para engorda dos animais. A dieta é de alto grão. “A gestão é diferenciada. Mesmo enxuta, a estrutura é funcional e produtiva”, destaca Felipe Araújo Dahas, médico veterinário e  coordenador do Confina Brasil. “Como verificamos em outras propriedades de Rondônia, a propriedade também conta com assessoria de uma indústria de nutrição animal”.

Em Ariquemes, o confinamento Pignaton, da fazenda Nossa Senhora, tem na pecuária um complemento do negócio, cujo forte é a agricultura. “A área de terminação é relativamente pequena para os padrões da região. O confinamento existe há sete anos, tem área estática para 1.300 animais, porém os proprietários analisam readequação do projeto, devido à dificuldade de obtenção de terras para crescer”, aponta Eduardo Seccarecio.

Mapeamento do confinamento bovino no país – Em sua segunda edição, o Confina Brasil viaja por 11 estados, com a visita a 120 propriedades, e atualiza, de forma remota, os dados dos confinamentos visitados em 2020, totalizando a pesquisa em 14 estados. O estudo contemplará informações de propriedades responsáveis pela terminação de mais de 2 milhões de bovinos em confinamento.

A equipe é formada por engenheiros agrônomos, médicos veterinários e zootecnistas da equipe da Scot Consultoria, todos especialistas em pecuária e preparados para coletar os dados e interpretá-los com o olhar na evolução constante da atividade.

Amanhã, 6ª feira (30.06), o Confina Brasil visita propriedades de pecuária intensiva de.

Confira o cronograma do Confina Brasil em RO:

  • 28 de julho: Pimenta Bueno (RO)
  • 28 e 29 de julho: Chupinguaia, Vilhena (RO)
  • 30 de julho: Corumbiara, Cerejeiras, Colorado do Oeste (RO)

A expedição tem patrocínio ouro da BRA-XPElancoCasaleNutron e UPL; e patrocínio prata da AB VistaAssociação Brasileira de AngusBarenbrugBeckhauserConfinartGA (Gestão Agropecuária)Inpasa e Zinpro.  A expedição conta ainda com o patrocínio da montadora Fiat e apoio institucional da Assocon, Embrapa Pecuária SudesteEmbrapa InformáticaHospital de Amor de Barretos e Sociedade Rural Brasileira.

Facebook Comments