Projeto, incluído entre as iniciativas do Movimento Energia do Bem, foi analisado em menos de sete dias e teve a ligação realizada apenas um dia após o encerramento da fase de implantação da infraestrutura.

O novo hospital do município de Seringueiras, localizado a 527 km da capital, teve seu fornecimento de energia elétrica ligado na quinta-feira (07) com a disponibilização de 500 KVA de eletricidade. A quantidade é suficiente para abastecer 2 mil casas populares e será importante para manter aparelhos ligados e salvar vidas no enfrentamento à Covid-19. Para viabilizar o fornecimento em tempo recorde, a Energisa Rondônia mobilizou uma dezena de engenheiros e técnicos para analisar o projeto e acelerou todos os prazos. A priorização do atendimento de unidades de saúde é uma das iniciativas do Movimento Energia do Bem, coordenado pelo Grupo nos 11 estados em que atua e que, em Rondônia, já doou máscaras N95 para o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), hospital referência no tratamento de Covid-19 no estado, 2 mil cestas básicas para o movimento SOS RO e agilizou a ligação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jaci-Paraná, entre outras ações.

O coordenador de Clientes Especiais da Energisa Rondônia, Daniel Andrade, explica que o prazo para ligação de um cliente desse perfil, inclusive pela quantidade de energia que precisa ser alocada, é de mais de 30 dias. Nesse caso, o projeto foi analisado e liberado em apenas sete dias e a ligação ocorreu um dia após a execução completa do projeto pelo cliente. Para isso, a distribuidora envolveu dez colaboradores nas tarefas internas de análise, aprovação e compra de materiais. Em campo, atuaram apenas dois técnicos, ambos com equipamentos de proteção individual (EPI) necessários não só para prevenir acidente e como também a contaminação pelo novo Coronavírus. “Nesse cenário de pandemia, o desenvolvimento e a análise dos projetos, antes das obras propriamente ditas, são extremamente importantes. Quanto mais criteriosas forem essas fases, melhor e mais rápida será a execução, minimizando a exposição dos técnicos aos riscos da Covid-19”, explica Andrade.

O novo hospital tem 18 leitos na enfermaria e dois leitos na Sala Vermelha para atender os cerca de 12 mil moradores do município. A obra é um empreendimento do governo de estado, que planejava entregar a nova unidade no final de 2020, mas antecipou devido à pandemia da Covid-19. O hospital será inaugurado no final de junho. Em mensagem enviada para a área comercial da Energisa, o secretário de saúde do município, Marcel Leme, agradeceu o atendimento feito com prioridade.

“É mais uma das muitas medidas que a Energisa está realizando para apoiar os estados onde atua. São ligações elétricas, aumentos de carga, tudo urgente, com o objetivo de oferecer condições de funcionamento a unidades de saúde e fazer frente aos desafios causados pela pandemia”, resume o diretor-presidente da Energisa Rondônia, André Theobald.

Sobre o Movimento Energia do Bem

O Grupo Energisa criou o Energia do Bem para viabilizar ações emergenciais que ajudem a superar a crise humanitária provocada pela doença. O movimento está presente nos 11 estados em que a empresa atua. Em todos os estados, o investimento do grupo será de cerca de R$ 5 milhões em ações que incluem doação e manutenção de ventiladores pulmonares, obras elétricas em unidades públicas de saúde e captação de recursos para assistência a idosos. Também foi criado o portal Energia do Bem, com informações confiáveis sobre a doença e conteúdo para reduzir os impactos do isolamento social.

Veja abaixo outras ações já realizadas pelo Energia do Bem em Rondônia

Cestas básicas para o SOS RO – Doação de 2 mil cestas básicas para o movimento SOS RO, que tem a participação do TCE, MPRO e TJRO. As cestas foram montadas pela distribuidora de alimentos e eletrodomésticos rondoniense Coimbra, ao custo de R$ 65 cada uma. Com o apoio da Energisa, o número de cestas do movimento passa de 6 mil para 8 mil.

Máscaras para Cemetron – Doação de 840 máscaras N 95 para o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), hospital referência no tratamento de Covid-19 no estado. As máscaras são de uso prioritário de profissionais de saúde e estão em falta no mercado. De acordo com o diretor do hospital, Sérgio Basano, são suficientes para suprir a equipe por um mês.

Confecção de máscaras para colaboradores – A Energisa comprou da empresa Marok, situada em Porto Velho, 10 mil unidades de máscaras. Empenhada em fomentar a economia local, a Energisa está priorizando a compra de materiais exclusivamente de empresas da região.

Ligação da UPA de Jaci-Paraná – Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jaci-Paraná foi ligada à rede elétrica no fim de março, quando o estado começava a se preparar para enfrentar a pandemia. A intervenção, cujo prazo de conclusão é de cerca de 60 dias, foi realizada em apenas quatro dias.

Sobre a Energisa

Com 115 anos de história, o Grupo Energisa é o 5º maior em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre. Com receita líquida anual de R$ 16,9 bilhões (ano 2019), o Grupo atende a 7,8 milhões de clientes (o que representa uma população atendida de quase 20 milhões de pessoas) em 862 municípios de todas as regiões do Brasil, além de gerar aproximadamente 19 mil empregos diretos e indiretos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um portfólio diversificado que engloba distribuição, geração, transmissão, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções), serviços especializados de Call Center (Multi Energisa), comercialização de energia (Energisa Comercializadora) e soluções em energias renováveis (Alsol).

Facebook Comments