A Nutrizon tem sede em Rolim de Moura
A Nutrizon tem sede em Rolim de Moura
A Nutrizon tem sede em Rolim de Moura

A companhia francesa InVivo, através de sua filial Neovia, negocia a compra da Nutrizon, empresa brasileira especializada em nutrição animal, informou o grupo francês nesta sexta-feira.

A compra dessa companhia com sede em Rolim de Moura, em Rondônia, “reforçará a cobertura da Neovia no Brasil e suas posições em aquacultura, ‘pet food’ e rumiantes”, indica Neovia em comunicado.

A Nutrizon também quer reforçar suas exportações do Brasil para Peru, Bolívia e Equador “graças à proximidade das instalações [da Nutrizon] com os grandes pontos viários e fluviais”.

A Nutrizon, criada em 2005, tem mais de 200 trabalhadores, uma fábrica de produção moderna e uma sucursal em Manaus, afirma Neovia. A brasileira também é especializada na alimentação de peixes tropicais, como o tambaqui e o pirarucu.

O valor do negócio, que depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), não foi revelado. Com faturamento anual global da ordem de 1,6 bilhão de euros, a Neovia já é um dos maiores “players” dos mercados de nutrição e saúde animal no Brasil, onde suas vendas somam cerca de R$ 1,6 bilhão por ano. “A Nutrizon é uma empresa em expansão, implantada em um Estado com forte potencial, que reforçará a posição da Neovia e sua cobertura geográfica no Brasil”, afirma Nilton Perez, presidente Neovia no Brasil e na América do Sul, em comunicado enviado ao Valor.

Conforme o CEO global do grupo francês, Hubert de Roquefeuil, o negócio está em linha com a “nova era” vivida pela Neovia, que passou a ser estruturada em sete divisões de negócios (alimentos completos, aquicultura, “petcare”, premix, saúde animal, aditivos e análises), laboratoriais), produtos para todas as espécies animais e atuação multi­geográfica. De Roquefeuil destaca que a aquisição da Nutrizon — que também conta com linhas de produtos para pets e ruminantes — é o primeiro investimento dessa “nova era” da Neovia, que enxerga o Brasil como um mercado­ chave para sua tendência de expansão. No país, a empresa já conta com 14 unidades de produção e cerca de 2,4 mil colaboradores.

Fontes: IstoÉ Dinheiro e Valor Econômico

 

Facebook Comments