Portal da Amazônia

Portal da Amazônia
Portal da Amazônia

PORTO VELHO – Em cada canto um pedaço da história de Rondônia é retratada. Seja através de fotos, objetos e recortes de jornais, assim é o Memorial Jorge Teixeira que conserva o legado de um militar que teve a missão de transformar o Território Federal de Rondônia em Estado. Preservaracervo precisa do engajamento da sociedade.

Um passo importante para isso ocorreu na manhã desta terça-feira (7) com a reabertura do memorial a visitação pública. O local passou por revitalização através de uma parceria entre a 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Federação do Comércio do Estado de Rondônia (Fecomércio) e a Rede Amazônica. ‘‘Aqui está a história não só do coronel Jorge Teixeira que foi o último governador do Território e o primeiro do Estado, mas de tudo que ele fez aqui a usina [de Samuel], a BR 364, a Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas.’’, afirma comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general de brigada André Luis Novaes de Miranda.

Nos corredores quadros e recortes de documentos contam história de Rondônia. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

Todo o acervo do memorial está exposto na casa de Jorge Teixeira de Oliveira. O local ainda conserva a arquitetura e móveis daquela época. A homenagem é da Sociedade Jorge Teixeira Oliveira que recebeu a residência do primeiro governador para guardar a memória desse homem que fez história em Rondônia em 4 de janeiro de 2001. São cerca de 15 cômodos, entre saguões, escritório, quartos, jardim e varandas com vista para o complexo ferroviário da Estrada de Ferro Madeira- Mamoré.

Complexo ferroviário é visto da janela do prédio do memorial. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

O legado

O coronel Jorge Teixeira foi nomeado governador do Território Federal de Rondônia em 10 de abril de 1979. Dois anos depois, em dezembro de 1981 ‘‘Teixeirão’’ foi nomeado primeiro governador de Rondônia. ‘‘Jorge Teixeira foi uma das forças da natureza que surge de tempos em tempos entre os homens tornando-se uma marca inevitável da história. Ele cumpriu a missão que tinha com êxito’’, avalia a historiadora e vice-presidente da Sociedade Jorge Teixeira de Oliveira, Yêda Borzacov.

Fotografias do acervo Memorial Jorge Teixeira. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

‘‘Jorge Teixeira amava profundamente Rondônia. Quando ele recebeu a missão dada pelo general Figueiredo [presidente do Brasil na época] trabalhou incansavelmente, tendo como lema trabalho, trabalho, trabalho e cobrava a mesma coisa dos seus assessores. Ele tinha uma noção total do estado de Rondônia, conhecia tudo’’, conta a historiadora.

Conservação

Uma história que Yêda orgulha em compartilhar em ainda mais em preservar. ‘‘É uma dificuldade para manter esse prédio e a recuperação devemos exclusivamente ao Exército Brasileiro, a Rede Amazônica e a Fecomércio. E eu faço um apelo para que as pessoas venham conhecer o memorial’’, afirma.

Fotos de personalidades que atuaram junto com o coronel Jorge Teixeira. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

De acordo com a historiadora, hoje são poucos os membros da Sociedade Jorge Teixeira de Oliveira, mas isso deve mudar. ‘‘Estamos fazendo uma lista para convidar novos sócios. Haverá uma renovação para podermos cumprir nosso objetivo’’, assegura.

Pessoas interessadas em abraçar a causa e levar os fatos históricos aos conhecimentos das futuras gerações. Um espaço que vem somar como os atrativos turísticos da capital de Rondônia. ‘‘Aqui voltamos um pouco no tempo, há muita coisa interessante nesse lugar. A casa é histórica e está aberta para estudantes e turistas em geral’’, afirma o comandante André Novaes.

Resgate

O Memorial Jorge Teixeira esteve fechado por cerca de um ano quando passou por obras de revitalização. ‘‘O Exército entrou com as obras e um pouco do material, e a Rede Amazônica e Fecomércio também contratara algumas obras específicas. Hoje entregamos um memorial mais moderno, com mais material didático, mas principalmente com rampas de acesso para cadeirantes. Hoje ver o memorial aberto é motivo de felicidade’’, afirma o comandante.

Teixeira foi responsável por criar o estado de Rondônia. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

A revitalização era uma necessidade. ‘‘Estava muito ruim, tinha muitas infiltrações, goteiras, portas quebradas, não tinha rampa de acesso. Tinha muita umidade. Estava no limite. Aí a dona Cida [presidente da Sociedade Jorge Teixeira Oliveira], a Yêda pediram ajuda e prontamente abraçamos a causa devido à importância que tem o memorial, um dos poucos pontos turísticos e históricos de Rondônia’’, destaca.

Paredes e assoalhos foram recuperados e pintados. O jardim foi reestruturado. Também foi realizada a troca de telhas, madeirames e a recuperação das varandas, portas de madeira e da parte hidráulica do prédio. Para cumprir essa missão, o Exército contou com o apoio da Rede Amazônica. ‘‘Tudo o que nós preservamos para a história das pessoas, das comunidades é importante. Não importa o tamanho da contribuição. O importante é contribuir, participar como estamos participando. A história do coronel Jorge Teixeira, suas coisas, suas lembranças é um patrimônio histórico-cultural de Rondônia”, disse o diretor regional da Rede Amazônica Antônio Luiz Campanari.

Importância também reconhecida pelos empresários de Rondônia. ‘‘Com essa revitalização nós valorizamos aqueles que estiveram em Rondônia lutando e fazendo esse Estado cada vez mais gigante. Uma contribuição muito importante para nossa história, lembrando o que aqui passaram e o que aqui fizeram. O coronel Jorge Teixeira é um desbravador e transformou esse Estado da região Norte em um Estado pujante como é hoje Rondônia’’, afirma o presidente da Fecomércio Raniery Araújo Coelho.

Avanço

A revitalização foi avaliada como uma iniciativa positiva pelo juiz federal Dimis da Costa Braga. ‘‘O poder judiciário participa muito fortemente da construção da história através das ações judiciais que são instauradas, mesmo que não tenha sido nenhuma ação judicial para a restauração do Memorial Jorge Teixeira, em inúmeros momentos a Justiça Federal tem se manifestado em muitos aspectos sobre a restauração da obra do nosso saudoso coronel em todas as atividades’’, assegura.

Memorial Jorge Teixeira, no bairro Caiari, em Porto Velho. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

O juiz que é amazonense é um conhecedor e orgulhoso da trajetória do coronel Jorge Teixeira pela Amazônia. ‘‘Jorge Teixeira de Oliveira começou sua missão na Amazônia com a criação do Centro de Instrução de Selva. Foi um prefeito revolucionário, da cidade de Manaus, onde me criei. Ele assumiu o comando do colégio militar de Manaus. Então Jorge Teixeira tem aquele papel do homem que faz, chega onde nada encontra e transforma o nada ou o pequeno em grandes obras’’, avalia o juiz.

Também prestigiou a reinauguração do Memorial Jorge Teixeira, o secretário-chefe da Casa Civil Emerson Castro, que representava o governador de Rondônia Confúcio Moura. ‘‘Se a história se perde, se perde o entendimento amazônida, o seu entendimento como desbravador. Então essa parceria é extraordinária para revitalizar e resgatar a memória do governante mais importante que tivemos no nosso Estado que foi o coronel Jorge Teixeira. Ele deixou as bases administrativas e públicas que até hoje seguimos. Foi um visionário seu tempo”, disse.

O Memorial Jorge Teixeira está localizado na rua José do Patrocínio 501, na frente do teatro Banzeiros, no bairro Caiari. É aberto a visitação de segunda a sexta-feira, em horário comercial.

Fonte: Portal da Amazônia

 

Facebook Comments