Agentes penitenciários foram impedidos de trabalhar

Conforme apurado pelo Rondoniemqap, agentes penitenciários, familiares do apenados, advogados, oficiais de justiça, presidente do Singeperon e demais pessoas que passavam pelo local, foram privados de seus direitos constitucionais de ir e vir, garantidos na Constituição Federal.

Agentes Penitenciários que estavam de plantão também foram proibidos de trabalharem, sendo barrados pela Polícia Militar de Rondônia, os agentes penitenciários de folga que estão realizando o movimento em frente ao presídio Urso Panda, também foram proibidos o acesso no complexo penitenciário.

Diante dos fatos ocorridos, os servidores que sofreram os abusos de autoridade registraram boletim de ocorrência contra os atos abusivos por parte do governador Marcos Rocha.

Já a presidente do Singeperon, Daihane Gomes, foi impedida de entrar nas unidades prisionais, retirando os direitos constitucionais da presidente.

Marcos Rocha já havia peticionado no judiciário para retirar o direito de ir e vir da presidente, sendo negado pelo Desembargador, o relator indeferiu a imposição de medidas restritivas à presidente do Singeperon, ressaltou que a liberdade de locomoção e a liberdade sindical são princípios constitucionais que devem ser observados.

Os familiares de apenados também foram impedidos, eles ficaram amotinados em frente ao clube OASIS, também não houve visitações para os apenados nas principais unidades prisionais de Porto Velho.

Os Militares tomaram conta de algumas Unidades prisionais, devido o decreto assinado nesta quinta-feira (24), pelo governador Marcos Rocha, autorizando os militares a realizarem os trabalhos dos agentes penitenciários.

O clima é tenso e preocupante, podendo gerar sérios problemas para o sistema penitenciário de Rondônia e toda sociedade.

 

Fonte: Rondonia em QAP

Facebook Comments