PORTO VELHO-O governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL) esteve em Guajará-Mirim na semana passada (veja link do vídeo no final da matéria)para colocar em pratos limpos a informação de que um parlamentar federal teria alocado recursos para a conclusão do hospital, cujas obras estão paradas e sem data para recomeçar.

Há um mês, o deputado federal Coronel Chrisóstomo fez uma live e publicou em suas redes sociais, chegou a anunciar que teria destinado R$ 2,5 milhões para atender a conclusão da obra do hospital regional de Guajará-Mirim. “Ninguém enviou aquele valor de 2,5 milhões para Guajará. Eu gostaria que fosse verdade, pois usaríamos imediatamente para finalizar o hospital. Pedir algo inconstitucional e inexistente serve apenas para fazer mídia e enganar perante o sofrimento de muitas pessoas”, afirmou o governador pelas sociais (confira no final desta matéria).

Na verdade, conforme o próprio ofício nº 029/Bancada-RO/2020, assinado pelo coordenador da bancada, deputado federal Lúcio Mosquini, os recursos propostos para o enfrentamento do coronavírus foram distribuídos da seguinte forma: Governo de Rondônia, R$ 11 milhões; Porto Velho, R$ 3 milhões; Guajará-Mirim, R$ 700 mil; Ariquemes, R$1,5 milhão; Ji-Paraná, R$ 1,5 milhões; Cacoal, R$ 1 milhão; Vilhena, R$ 1,5 milhão; Rolim de Moura, R$ 700 mil; Jaru, R$ 400 mil; São Francisco do Guaporé, R$ 700 mil; bem como demais valores que estão sendo aplicados apenas no enfrentamento do coronavírus.

O valor anunciado pelo parlamentar refere-se ao ofício nº 032/Bancada-RO/2020, assinado pelo coordenador da Bancada – no dia 22 de maio deste ano, aborda sobre a solicitação para que fosse liberado o valor de R$ 2,5 milhões para suprir as despesas com a obra de conclusão do Hospital de Guajará-Mirim, com os recursos oriundos dos valores liberados por meio da emenda da bancada, atendendo à solicitação do deputado federal Coronel Chrisóstomo.

Em resposta, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) encaminhou o ofício  nº 7885/2020/SESAU-NEEP esclarecendo de forma transparente a impossibilidade do remanejamento de recursos de emenda solicitado, uma vez que este só seria possível junto ao Ministério da Saúde antes do efetivo repasse, por se tratar de bloco diverso da destinação previamente pactuada pela bancada federal, ou seja, a emenda foi recebida pela Sesau no bloco de custeio, sendo que para obras (como é o caso do Hospital de Guajará-Mirim) cabe apenas recursos do bloco de investimento.

No ofício, assinado pelo secretário da Sesau, Fernando Máximo, fica visível a questão da incompatibilidade entre os Blocos de Custeio e Investimento, a construção do Hospital Regional de Guajará-Mirim já é proveniente de emenda parlamentar, formalizada por meio de Contrato de Repasse nº 769044.

Para investir novos recursos federais na obra, seria necessária a indicação de Emenda Parlamentar pelo Fundo Nacional de Saúde com destinação específica para formalização de novo contrato, por meio de reforma, ou seja, etapa diversa na qual a referida obra se encontra. Ainda assim, seria analisada pela equipe técnica do Ministério da Saúde, passível de indeferimento, considerando que a emenda de 2011 ainda encontra-se em execução.

Marcos Rocha, ontem, pelas redes sociais:

— Normalmente, mas principalmente numa crise como esta, o correto é que os poderes se organizem, se ajudando da melhor forma possível para atender a população. Essa é a linha que sigo e vou continuar seguindo.
— Por isso, dentro do preceito da união, serei respeitoso com as autoridades, mesmo as que mentem, pois o nosso foco é vencermos esse vírus da forma mais justa e humana.
— A pandemia vai passar e devemos vencê-la da maneira correta. Como eu disse no início (em fevereiro), não existem decisões sem consequências. Meu intuito é que elas sejam as mais justas possíveis. Mas elas existem e teremos que conviver com elas.
— A vitória precisa de união e honradez. Infelizmente algumas pessoas envelhecem sem descobrir o verdadeiro significado disso.
— Na última semana tive um momento muito especial em Guajará-Mirim. Pela fé encontrada nas pessoas que conversei e por perceber que mesmo que surjam as mentiras e que estas iludam por um tempo, inclusive as boas pessoas, no final a verdade prevalece.
— Agradeço de coração as palavras do vereador Carreirinha e a coragem dele em me pedir perdão em público. Somente homens de bem e honrados são possuidores desse tipo de grandeza. E aqui, digo o seguinte para o senhor vereador: Deus já lhe perdoou e eu também. Sempre espere a verdade de mim e a busca da união honrada para o bem.
— A recepção carinhosa dos guajará-mirenses me deu muitas forças. Um grupo havia iniciado um protesto e após esclarecermos, alguns vieram conversar e também se desculparam. Abençoo, em nome de Jesus, a sinceridade dessas pessoas.
— Ninguém enviou aquele valor de 2,5 milhões para Guajará. Eu gostaria que fosse verdade, pois usaríamos imediatamente para finalizar o hospital. Pedir algo inconstitucional e inexistente serve apenas para fazer mídia e enganar perante o sofrimento de muitas pessoas.
— Meu desejo é construir o Hospital de Guajará imediatamente. Não só ele. Mas o “desejo” sem o planejamento correto não existe em administração pública. E a população está cansada de ser enganada por promessas vazias. Não farei isso! Nunca! Mas eu afirmo: eu disse que construiria o hospital de Guajará-Mirim e o farei.
— Peço desculpas à população de Guajará-Mirim e de toda Rondônia, mas não pelos motivos falados nessas gritarias com mentiras, criadas por pessoas levantando palcos com pretensões políticas. Me desculpo como representante público, pois me envergonha esse ambiente onde tenho que gastar meu tempo escrevendo para esclarecer as mentiras levantadas por pessoas que deveriam ter responsabilidade no que fazem. E peço desculpas, também, pelos erros reais e a ineficiência histórica da máquina estatal, algo que tenho lutado para mudar. Mas que ainda falta muito. Todo o estado precisa de muito mais e hoje trabalhamos para colocá-lo nos eixos, entregando eficiência.
— Peço humildemente a todos vocês que buscam atuar contra o governo: abaixem as armas e passem a ajudar e trabalhar conosco para entregarmos o máximo para nossa gente. É importante que façamos Rondônia crescer e se desenvolver com dignidade. É momento de pararmos com essa política velha e guiarmos para algo correto e honrado.
— Pode ser que algumas pessoas façam manchetes mudando o sentido da minha fala, pois não estão acostumadas com essa linguagem direta. Mas vou entender a fraqueza desses.
— Estamos agindo com equilíbrio e respeitando nosso corpo técnico. Meu posicionamento (sei que alguns discordam, considerando a crise gerada pela COVID-19) é que precisamos de pulso firme, baseado nos técnicos de várias áreas, mas respeitando e ouvindo a população. Respeitar a população! Todo político deve entender que é fundamental montar as estratégias tendo isso em mente.
— Estou aqui para servir. Meu foco será apenas entrega e trabalho. Não polêmicas. Se daqui a três anos a maior parte da população achar que não fiz bem meu trabalho, ela deverá escolher outro e estarei com minha alma limpa. O importante será sempre Rondônia, o Brasil e não pessoas.
— E saibam, mesmo que as pessoas do mal tentem desesperadamente me equiparar a elas, não conseguirão. Não vou baixar ao nível da mentira e do errado. Tenho defeitos, mas sempre serei honesto e honrado, pois hoje estou como Governador, mas serei sempre o Marcos Rocha, que honra meus pais, minha família e o Senhor!
Vamos com Deus!! E venceremos da maneira certa!
Facebook Comments