Ela publicou um vídeo em seu canal no youtube com vários hematomas e depois desapareceu.

A jornalista Patrícia Souza Lelis, 22 anos, desapareceu depois de acusar deputado federal e pré-candidato à prefeito de São Paulo, Marco Feliciano (PSC/SP) de assédio sexual. Ela publicou um vídeo em seu canal no youtube, com vários hematomas e depois desapareceu segundo relato de parentes e amigos. O episódio da agressão ocorreu semana passada em Brasília.

A notícia teve repercussão terçã-feira  (2), após o professor universitário, Hugo Studart, da Universidade Católica de Brasília” UCB, postar o caso em seu facebook. Ele deu aula para Patrícia no curso de jornalismo.

“O deputado e pastor Marco Feliciano assediou sexualmente minha ex aluna, Patrícia Lelis, de 22 anos em troca de cargo na Câmara Federal. Como ela não aceitou. Ele agarrou ela a força. A menina está apavorada e recebe ameaças constantes, porque disse que iria procurar a polícia. Ela estava em uma reunião no seu apartamento funcional, que seria para tratar de assuntos da UNE, mas quando chegou lá deu de cara com o parlamentar”, conta o professor.

Evangélica, a jornalista é ativista digital e por conta de seu posicionamento contra os homossexuais, já se envolveu em várias polêmicas por conta de suas opiniões na internet.

Facebook Comments