Agentes da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) prenderam nesta quinta-feira (15), Taise Cristina da Silva, 23, acusada de participação na morte cruel de Alisson Cunha Gonçalves, 28, morto a pauladas e depois teve o corpo carbonizado em uma fogueira.

O crime aconteceu no último dia 02 nos fundos de uma residência localizada na Rua Mané Garrincha, bairro Socialista, na zona Leste da capital de Rondônia. Mais duas mulheres e um homem envolvidos no crime estão sendo procurados.

As investigações dos policiais da Homicídios apuraram que Alisson ia com frequência até a residência usar drogas com os assassinos e com o dono da casa, conhecido como “Grande”.

A vítima tentava recuperar uma bota que havia deixado penhorada com “Grande” em troca de drogas. Todavia, “Grande” já teria vendido a bota para outra pessoa.

Na noite anterior ao homicídio, “Grande” foi preso em uma abordagem da Polícia Militar na residência. Ele estava foragido pelo crime de tráfico de drogas.

Com a prisão dele, os criminosos imaginaram que Alisson seria o responsável pela denúncia e resolveram matá-lo.

Taise, mais duas mulheres e um homem atraíram a vítima para a casa com o pretexto de que iam usar drogas. Alisson aceitou e acabou sendo morto a pauladas. Depois, o corpo dele foi arrastado pelas três mulheres e levado para a fogueira que tinha sido feita pelo comparsa delas.

Os policiais conseguiram identificar todos os envolvidos e hoje obtiverem êxito em Taise. As buscas continuam para prender os outros três envolvidos.

Fonte: Rondoniaovivo

Facebook Comments