Presidente da Fiero Marcelo Thomé (e), prefeito Mauro Nazif, Gilberto Baptista e a arquiteta Raísa Tavares em reunião na 6ª feira

Presidente da Fiero Marcelo Thomé (e), prefeito Mauro Nazif, Gilberto Baptista e a arquiteta Raísa Tavares em reunião na 6ª feira
Presidente da Fiero Marcelo Thomé (e), prefeito Mauro Nazif, Gilberto Baptista e a arquiteta Raísa Tavares em reunião na 6ª feira

O que seria apenas uma visita institucional do presidente da Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero) Marcelo Thomé, ao prefeito de Porto Velho, Mauro Nazif pode resultar em uma importante conquista para o setor da construção civil. Recebido em audiência pelo prefeito Mauro Nazif, na última sexta-feira, 13, o presidente da Fiero cobrou do Executivo Municipal a implementação do novo Código de Obras, debatido entre os técnicos da Secretaria Municipal de Planejamento e a classe empresarial ainda no ano passado.

Marcelo Thomé e o superintendente da Fiero, Gilberto Baptista, visitaram o prefeito para, além da agenda institucional, debater a possibilidade de colocar o sistema que envolve ainda o Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), a serviço da arrecadação de donativos em favor dos desabrigados pelas enchentes em Rondônia e no Acre. “Como presidente da Federação das Indústrias de Rondônia trago à Prefeitura de Porto Velho, nossa disposição de ajudar na arrecadação de donativos para amenizar o sofrimento de nossos irmãos ribeirinhos que padecem com as cheias em Rondônia e no Acre”, disse Thomé, já informado pela Defesa Civil Municipal dos problemas surgidos com a subida do nível da água do rio Madeira.

Pragmático, o presidente da Fiero, Marcelo Thomé, aproveitou o relato do prefeito sobre as dificuldades enfrentadas pelo município de Porto Velho em função da cheia do ano passado para cobrar da Prefeitura a completa implementação do no Código de Obras debatido durante o ano passado com diversos segmentos da construção civil, reduzindo a burocracia na expedição das licenças para edificações. Thomé informou ao prefeito que alguns dos pontos contidos no novo Código de Obras ainda encontram resistência de alguns setores da Prefeitura, emperrando a liberação de alvarás de construção e outras licenças.

O dirigente da Fiero realçou que em um momento de crise como o que se vive atualmente será da maior relevância para a construção civil as práticas contempladas pelo novo Código de Obras, que representa um importante avanço em relação do antigo código. “A construção civil é o setor da economia que mais rápido reage em momentos de crises”, acentuou Thomé, para em seguida elogiar a visão realística do prefeito Mauro Nazif em modernizar a legislação edilícia de Porto Velho e também reconheceu o esforço da equipe de servidores que trabalham na implementação do Código.

Demonstrando preocupação com o não cumprimento do que fora pactuado com a classe empresarial do setor da construção civil, o prefeito Mauro Nazif chamou ao seu gabinete a equipe da arquiteta Raísa Tavares para saber os motivos do não cumprimento do novo código. A equipe de arquitetos da Sempla explicou que estão sendo envidados esforços para a completa implementação do Código de Obras, mas que ainda demanda algumas providências e informações que dependem de outros órgãos. Ao final da reunião ficou acertado que o prazo final para a completa implantação do novo código será dia seis de abril desse ano.

Entre outros assuntos, o presidente da Fiero, Marcelo Thomé, debateu com o prefeito Mauro Nazif a necessidade de ordenamento da ocupação do solo na margem esquerda do rio Madeira, para evitar a favelização da região. Mauro Nazif enalteceu a inciativa do Sistema Fiero em realizar a campanha de arrecadação de donativos para os desabrigados pela enchente e disse que seu desejo é trabalhar em sintonia com os setores produtivos de modo a alinhar as ações da Prefeitura com as reais necessidades da população.

Assessoria de Comunicação Social

Sistema FIERO (SESI/SENAI/IEL)

 

Facebook Comments