Expedito Junior recorda sua luta para desengavetar transposição

0
370


Em reunião com grupo de servidores do ex-Território, candidato ao governo relatou todo empenho para mobilizar votação no Senado

Em conversa com um grupo de servidores do ex-Território que foram alcançados pela transposição para os quadros da União, o candidato ao governo pela coligação “Rondônia, esperança de um novo tempo”, Expedito Junior (PSDB), recordou da grande luta que encampou no Senado para desengavetar e colocar em votação o projeto que estava paralisado não só no Senado como também na Câmara dos Deputados.

Com uma determinação quase que obsessiva, Expedito Junior abraçou três bandeiras particularmente: o andamento da transposição dos servidores do ex-território federal; a tese de que a dívida do Beron com o Banco Central já tinha sido paga e a regulamentação da profissão de mototaxista. Em termos de mobilização, conseguiu êxito nas três frentes, no entanto, a questão do Beron, apesar de aprovada no Senado, não foi cumprida pelo governo federal e acabou sendo judicializada.

Para conseguir aprovar a PEC da transposição, o então senador Expedito Junior adotou a tática de cobrar, sistematicamente, da tribuna do Senado, que os presidentes das casas legislativas e o colégio de líderes colocassem a proposta em votação. Fez, inclusive, uma contagem regressiva na qual lembrava diariamente quantos dias faltavam para o recesso parlamentar.

 Com toda essa dedicação, conseguiu a simpatia de duas lideranças estratégicas. A do então presidente do Senado, José Sarney e do então líder do governo, senador Romero Jucá, representantes das bancadas do Amapá e de Roraima, estados que por meio de suas atuações obtiveram o direito a transposição de seus servidores.

Jucá, articulou e conseguiu, inclusive, que no dia da votação, em outubro de 2009, a proposta fosse votada em primeiro e segundo turno, sem o prazo regulamentar (interstício), de uma para outra sessão. O projeto acabou sendo aprovado pelos 53 senadores presentes à sessão, sem nenhuma abstenção e nenhum voto contrário.

Ao final da sessão, associações e sindicatos de servidores fizeram circular um manifesto em reconhecimento ao trabalho e dedicação de Expedito.

Dizia o manifesto: “Excelentíssimo Sr. Senador da República Federativa do Brasil, Expedito Júnior As entidades sindicais e associativas representativas dos servidores públicos do Estado de Rondônia vêm à honrosa presença de V. Exª manifestar nossa gratidão neste momento, por todo o vosso apoio e dedicação, tanto na Câmara dos Deputados, como no Senado Federal, pela aprovação da PEC da Transposição dos servidores públicos do Estado de Rondônia. O movimento intersindical se solidariza com V. Exª, acreditando que participará, de forma efetiva, na construção da história política de nosso Estado, alçando bandeiras que têm como objetivo materializar os anseios de nossa população. As manifestações aqui expostas exprimem, de forma sincera, nossa gratidão pelo exemplo de atuação parlamentar que encontramos na pessoa de V. Exª no exercício de seu mandato no Senado Federal da República. Porto Velho, Rondônia, 28 de outubro de 2009”.

Além da transposição, Expedito desengavetou o projeto do falido Banco do Estado de Rondônia (Beron), aprovando a recalculo da dívida, assegurou depois de oito anos a aprovação do projeto do mototáxi e garantiu aos taxistas transformar as placas de concessão em herança para seus familiares.

Facebook Comments