POSSE-CAETANO-6-570x380O ex-comandante geral do Corpo de Bombeiros coronel Lioberto Ubirajara Caetano de Souza é o novo diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) e do Departamento de Obras e Serviços Públicos de Rondônia (Deosp). Caetano assumiu o cargo até então ocupado pelo servidor de carreira e engenheiro Ubiratan Bernardino Gomes, que retorna ao antigo posto, de diretor operacional. Marcelo Burgel deixou a Residência do DER em Alvorada do Oeste para assumir a diretoria executiva do DER e Deosp, função antes exercida por Rodrigo Viana.

Caetano e Burgel assumiram os cargos na manhã  de hoje (20) e fizeram a primeira reunião de trabalho com os chefes e coordenadores setores de todos os setores. Por cerca de uma hora Caetano fez explanações sobre sua filosofia de trabalho e pediu o apoio dos servidores para ajudá-los a comandar os Departamentos. Destacou que o governador Confúcio Moura, ao convidá-lo para a direção do DER e Deosp, impôs em sua carreira mais um grande desafio.

Disse que é fascinado pela engenharia e que irá pautar sua administração com foco no planejamento, com decisões técnicas, numa gestão moderna com a implementação de softwares que possam facilitar e melhorar os trâmites dos projetos e processos.

Caetano garantiu a implantação de programas de valorização dos servidores de carreira. Ele entende que é preciso motivar o servidor para obter o melhor da cada um. “Há casos de servidores com rendimento abaixo do seu potencial. Vamos dar as melhores condições de trabalho para cada técnico. Essa é será uma missão”, afirmou.

Caetano (esquerda) assume no lugar do servidor de carreira, Ubiratan Gomes

O novo diretor-geral do DER e Deosp assegurou que não abrirá mão das decisões técnicas. “O governo tem órgãos competentes, prontos para atuar, com engenheiros qualificados, muitos com mais de 20 anos de carreira. Em nossas decisões prevalecerão os critérios técnicos”, acrescentou.

Caetano disse que seu plano de trabalhar inclui tecnologia, comunicação, inteligência e gestão de pessoas. Esses fatores, conforme o diretor, deixarão o DER e Deosp mais rápidos, mais fortes e  funcionais.

Em relação aos moldes de funcionamento, o diretor entende que o sonho dos órgãos públicos é se aproximar do privado. O DER, na visão de Caetano, por ter orçamento, maquinário e uma estrutura fortalecida em todo estado, é o órgão que mais se assemelha ao setor privado.

“Vamos usar essa força para ser o facilitador do povo. As pessoas precisam se locomover. Os produtores necessitam escoar a produção. O DER tem essa função de facilitador enquanto órgão responsável pelas estradas coletoras e vamos fazer nossa missão”, frisou Caetano.

Fonte
Texto: Nilson Nascimento
Fotos: Nilson Nascimento

Facebook Comments