Em 25 dias administração de Nova Mamoré já contabiliza 11 óbitos

Prefeito Marcélio Brasileiro não está nem aí pra pandemia
NOVA MAMORÉ- O prefeito de Nova Mamoré, Marcélio Rodrigues Uchoa, o Marcélio Brasileiro (DEM), em 25 dias de governo já bateu seu primeiro recorde negativo. Enquanto o ex-prefeito Claudionor (PDT), em nove meses de pandemia manteve apenas oito óbitos, o novo prefeito em menos de um mês já contabiliza 11 pessoas mortas pela Covid-19. E os números não pararão de crescer, se depender dos últimos atos dele. Destacando que dinheiro não é o problema para o prefeito enfrentar a pandemia. O ex-prefeito deixou R$ 6 milhões em caixa e a Câmara Municipal repassou mais R$ 4 milhões esse mês.
O ex-candidato a prefeito do município, Dr. Welisson Nunes (PDT), que está fiscalizando a administração, levantou uma importante situação nesta semana. O prefeito está estimulando a aglomeração, o que poderá explodir o número de casos nos próximos dias.
Pelas redes sociais (Facebook), Dr. Welisson denunciou a situação: “Sabemos que o mundo inteiro tem procurado evitar a aglomeração de pessoas dado o estado de calamidade pública em razão do aumento expressivo de casos da Covid-19. Em 07.01.2021 o Exmo Senhor Prefeito de Nova Mamoré expediu o Decreto nº 5.896-GP/2021 em que decretou o isolamento social restritivo em toda a área abrangida pelo Município. Não obstante isso, temos visto o aumento cada vez maior de casos de Covid-19 tendo havido aproximadamente 11 óbitos nesses 25 dias de 2021, número superior a todos os ocorridos em 2020. Estamos em luta constante para manter o isolamento social restritivo, ante a dificuldade no fornecimento de medicamentos e equipamentos técnicos para cuidar de nosso povo que necessita. No entanto, mesmo na vigência de seu decreto restritivo, o próprio Prefeito Municipal em 20.01.2021 expediu o Decreto nº 5.979-GP/2021 convocando – PASMEM – todos os servidores do município para PRESENCIALMENTE, comparecem no auditório da Câmara Municipal de Nova Mamoré entre os dias 26, 27, 28 e 29 de janeiro, 01, 02, 03 , 09, e de 10 a 19 de fevereiro, das 07h30min a 13h30min, para efetuarem a atualização de seus dados cadastrais (apenas isso)”, escreveu Dr. Welisson Nunes.
“Posso estar errado, mas me parece que tal determinação vai de encontro ao que estamos querendo nesse momento, o que seja, evitar aglomeração, manter-se em casa os que puderem e evitar deslocamentos sem urgência e necessidade, ainda que se tenha estipulado o uso de máscaras e álcool em gel. A Prefeitura Municipal possui em seu quadro funcional aproximadamente 1.000 servidores. Alguns deles com cedência para outras secretarias/gabinetes/entes da administração pública, inclusive, fora do município.
Qual seria a real necessidade/urgência de, em pleno combate e enfrentamento a pandemia do coronavírus e, sob a égide de um decreto restritivo de mobilidade social, ser decretada a convocação pessoal dos servidores para uma simples atualização cadastral?
Não seria possível deixar isso para um momento posterior, quando os casos viessem a baixar ou mesmo o decreto de isolamento perder sua vigência?
A meu ver é um ato contrário à boa lógica decretar o isolamento social restritivo e ao mesmo tempo convocar todos os servidores para uma possível aglomeração pessoal e local entre 07h30min e 13h30min, expondo tanto aos servidores que irão efetuar o recadastramento, quanto a Comissão Municipal de Recadastramento e, ainda, toda a sociedade como um todo”, disse.
No final da postagem, Dr Welison Nunes apela para que as pessoas fiquem em casa. “Mantenham o isolamento social. Respeitem o decreto restritivo. Evitem aglomeração. Valorizem a vida. NOva Mamoré e o Estado de Rondônia estão com a saúde em colapso”.
Manifestações

Outro popular também de manifestou contra as decisões de aglomeração do prefeito de Nova Mamoré: “Senhor Marcélio Uchôa, o senhor por ser o chefe do município, ao invés de estar revogando afastamento dos servidores do município, deveria estar preocupado com a saúde de nova Mamoré que está cada dia pior, e não exigindo comparecimento pessoal para entrega de documentos a mais de 1000 servidores. E o lockdown decretado por vc mesmo como fica? Se queria revogar o afastamento do meu marido fizesse diretamente a ele e não arrumando desculpas para um decreto totalmente desumano. O senhor é um ditador que não se preocupa com a vida de ninguém!! O estado de Rondônia em colapso e município que o senhor é o chefe administrativo, sem leitos sem médicos sem remédios e o senhor querendo que mil e poucos servidores comparece a seu GABINETE PARA ENTREGAR DOCUMENTOS?? Eu estou enganada ou o município está de lockdown? Devemos permanecer em nossas casas evitando aglomeração e contato com outras pessoas? Mais pra o senhor receber 1mil e tantos servidores pode ?? Senhor o senhor deveria estar se preocupando com as mortes que está acontecendo no município que o senhor está administrando! MEU PAI SENHOR VALDIR DANCINI 69 anos, compareceu pra fazer exames de covid no lugar que o senhor diz ser centro do atendimento ao covid, que não foi feito! Se nós não fossemos atrás de exames particular agora meu pai poderia estar internado, ou se não, já ter morrido, graças a Deus ao contrário do senhor existem pessoas boas no município que estão ajudando até com compras de medicamentos, por amor ao próximo, e o senhor ?? Fez questão de doar parte do seu subsídio pra ajudar ? Ou falou pra população dos 4 milhões que foram liberados pela câmara municipal, para a saúde ? Pq não conserta o telhado do posto do planalto e coloca outro local de atendimento?? Vou lhe dizer porque. O senhor marcelio, está preocupado com o poder! E não com o povo! Mais eu digo uma coisa ao senhor, Deus é justo e esse não dorme”, postou Valesca Dancíni Teles.

Fonte: Mais Rondônia
Facebook Comments