Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher repudia assassinato de Silvia Santos de Souza

0
1509
A acadêmica Silvia Santos Souza foi brutalmente assassinada na sexta-feira


PORTO VELHO-  O trágico assassinato da acadêmica Silvia Santos Souza, de 39 anos, morta com golpes de faca, cujo corpo foi encontrado na madrugada desta sexta-feira (8), é alvo de protestos e repúdio de diversas entidades. O corpo dela foi encontrado dentro de um sumidouro, coberto com mato e lona em uma chácara no Bairro Nova Esperança, em Porto Velho. A acadêmica estava sumida desde o dia 6 de junho. Segundo perícia ela foi asfixiada e morta a facadas. O principal suspeito é o ex-namorado dela. O enterro dela aconteceu na tarde de sábado, no Cemitério Santo Antônio.

A presidente da Comissão e Defesa dos Direitos da Mulher, vereadora Ada Dantas Boabaid (PMN), defensora do direito das mulheres na Câmara Municipal, classificou o assassinato da acadêmica de um “ato de extrema covardia”. “Infelizmente a criminalidade vem aumentando no país e temos que buscar penas mais severas para punir quem comete esse tipo de crime”, destacou a parlamentar.

Abaixo, o Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher – CMDDM do município de Porto Velho também expressa seu repúdio ao ato selvagem e brutal.

NOTA DE REPUDIO

 O Conselho de Defesa dos Direitos da Mulher – CMDDM do município de Porto Velho repudia o assassinato de Silvia Santos de Souza ocorrido no dia 08 de junho de 2018, devido ao caráter  misógino deste crime.

O Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher – CMDDM desempenha uma luta constante, fiscalizando e propondo politicas publicas para as mulheres em vários âmbitos, tais como, saúde, educação, violência contra a mulher, moradia e desenvolvimento econômico e social.

Esta ações visam atender os acordos internacionais como a Convençao para a eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher CEDAW (1979), Lei Maria da Penha 12.340, Conferencias de politicas para as mulheres e outras leis nacionais que visam  os direitos humanos das mulheres.

Desnaturalizar a violência contra a mulher seja ela no espaço privado ou publico é um dos maiores desafios de nossa sociedade, que ainda esta arraigada no patriarcalismo, o que muitas vezes ocasiona retrocessos na caminhada pela  equidade entre homens e mulheres na nossa sociedade. Para tanto devemos ampliar a reflexão da sociedade de Porto Velho, para que este crime contra Silvia Santos de Souza tenha os rigores da lei e da justiça.

Sejam quais forem os motivos que levam a essas diversas formas de violência, nenhum deles justifica tais atos de selvageria contra a mulher ou qualquer ser humano. Nós, mulheres do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, estaremos alertas e atentas para que barbáries assim diminuam significativamente em nossa cidade

Iara  Ortiz

Presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher – CMDDM

Facebook Comments