O conselheiro fiscal do Sinjur, Raiclin Silva, protocolou (11/07) denúncia no Ministério
Público do Trabalho contra a atual diretoria do Sinjur, apresentando vasta
documentação e formulou pedido de afastamento de todas as suas funções.

O conselheiro alega que a “bomba” pode estourar a qualquer momento e que ele como fiscal não pode ser responsabilizado, pois, nunca teve acesso a nenhum tipo de documento na entidade.

Consta na denúncia que a atual diretoria tem perseguido os filiados com ameaça de
processo, que não existe transparência dentro da instituição e que o Conselho Fiscal
órgão autônomo e independente hoje está submisso as vontades da Presidente (que viola constantemente o estatuto, sem respeito algum com os filiados).

anexo
Facebook Comments