A CPI da Energisa divulgou o número de WhatsApp da ouvidora da Assembleia Legislativa para o recebimento de denúncias de consumidores, que podem ser encaminhadas juntamente com fotos e vídeos. (69) 98416-0151.

O deputado Adelino Follador (DEM), que é membro suplente da CPI da Energisa pontuou as principais denúncias recebidas, com as devidas provas, e que estão sendo investigadas pela CPI, sendo: aumento excessivo das tarifas; Corte rápido após atraso; Falta de aviso para corte; Religação demorada; Faltas constantes de energia; Substituição de medidores e cobranças de retroativos com argumento que o medidor antigo tinha defeito, baseada em perícia unilateral realizada pela empresa.

Para o parlamentar, estas ações por parte da Energisa provocaram o ódio da população.

“É importante a CPI juntar todas estas provas para que seja dado um basta nestes abusos, e no final todas as medidas possíveis, dentro da legalidade, sejam tomadas para proteger e estabelecer o atendimento justo e adequado para a população”, disse Adelino.

Follador (DEM) participou da reunião ordinária, na tarde de quarta-feira (09), realizada na Assembleia Legislativa (ALE), para ouvir os dirigentes do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Estevão Ferreira e do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), Aziz Rahal Neto, para saber sobre o trabalho dos órgãos e de que forma poderiam ajudar a resolver os problemas apresentados pela sociedade.

Adelino Follador reclamou da forma como o Procon atua, pois encaminhou as denúncias dos consumidores para a própria Energisa responder, “e o que foi feito com cada uma dessas três mil reclamações?”, questionou. O diretor do Procon informou que cerca de 90% dos casos são respondidos pela Energisa, porém não resolvidos.

 

Facebook Comments