Na manhã de quarta-feira (14), aconteceu a solenidade de inauguração da Biblioteca da Unidade de Internação Provisória e Sentenciada Feminina (Unif), da Fundação Estadual de Atendimento Socioeducativo (Fease), destacando uma socioeducanda que, internada desde dezembro de 2019, até o momento já leu 132 livros.

Quando Maria (nome fictício), de Porto Velho, foi indagada sobre o que havia despertado o seu desejo pela leitura, respondeu: “o meu gosto de leitura começou quando minha mãe comprou uma máquina de lavar roupa e eu li o papelzinho que estava escrito as instruções, foi quando comecei”, disse sorrindo.

“A educação não transforma o mundo, educação muda pessoas e pessoas mudam o mundo”, disse o presidente da Fease, Antônio Francisco Gomes Silva, citando Paulo Freire.

Maria acredita que a leitura dos livros pode melhorar a sua vida e seu interior, e conclui dizendo: “espero poder levar essa leitura adiante, para que eu tenha uma vida melhor do que eu tinha antes e que eu possa refletir e isso me leve a muitos lugares melhores”.

Para a diretora geral da unidade, Eliete Mota de Almeida Marinho, a formatação final da biblioteca é a realização de um sonho, e durante todo o processo de preparação do local, houve muita dedicação de todos os envolvidos, “foi um trabalho em equipe, pois houveram várias doações de livros. Estamos aguardando mais doações e quem tiver interesse é só nos procurar”, ressaltou.

Após a solenidade todos os presentes tiveram a oportunidade de visitarem a exposição dos livros que haviam sido lidos pelas adolescentes. Estiveram presentes o presidente da Fease, Antônio Francisco Gomes Silva, o cordenador de Apoio ao Adolescente (CAA/Fease), Giliarde Irineu, a assistente social da Vara Infracional de Execução de Medidas Socioeducativas de Porto Velho, Fátima da Silva, diretoras da unidade, servidores e socioeducandas.

Fonte: Secom

Facebook Comments