Coluna Zona Franca

PEC da morte da educação

Só podia ser de autoria do senador Marcos Rogério (DEM-RO), que aderiu ao negacionismo geral da República. Além da adesão ao negacionismo da ciência ao defender com unhas e dentes a política anti-vacinas do presidente Bolsonaro, o senador rondoniense nega também a educação. Partiu dele a autoria da PEC 13/2021, que desobriga o cumprimento do mínimo constitucional na educação nos estados e municípios brasileiros.

PEC da morte da educação 2

Conforme explica a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os Municípios e Estados devem por Lei, vincular 25% dos recursos oriundos de impostos para a Educação. No caso da União, o percentual é de 18%. Com a possível aprovação da PEC, o Poder Público poderá se negar a direcionar esses recursos sem ter que se responsabilizar pelo descumprimento da legislação.  Para o Sintero, esta é mais uma manobra que visa precarizar a Educação Pública, que vem sendo duramente atacada, com uma série de retrocessos, pelo atual governo. Em vez disso, para garantir o equilíbrio fiscal, Marcos Rogério poderia sugerir outras alternativas que atingissem, principalmente, os detentores das grandes fortunas do país.

PEC da morte da educação 3

A Educação é um direito básico de todos os brasileiros e brasileiras, sendo uma das áreas que mais necessita de investimento. Tal posicionamento do parlamentar, que já mostrou-se alinhado com a política adotada pelo Governo Federal, pode ser considerada, no mínimo, contraditória. Há poucos dias, o Projeto de Lei nº 5.595/2020, que classifica a Educação como serviço essencial, voltou a ser defendido por representantes do governo. Com isso, questiona-se, se o discurso adotado é fantasioso, ou se suas atitudes demonstram, de fato, para quem está legislando. É notório não ser em favor da grande massa.

Eleições 2022

Por estas e outras é que o nome do senador Marcos Rogério, outrora favorito para o governo do Estado em 2022, vem caindo no conceito popular. Suas intervenções inoportunas e intrigantes  na defesa do governo na CPI da Covid são motivos de críticas severas até entre alguns governistas conscientes. Percebendo isso, de vez em quando o senador simula estar contra alguns depoentes na CPI, que a cada dia chega mais perto do Palácio do Planalto.

Eleições 2022- 2

Quem está subindo no conceito do eleitor é o ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB), que poderá disputar o governo em 2022, representando a centro esquerda. Moderado e com articulações em todos os setores, Jesualdo poderá liderar um grupo político rumo ao Palácio Rio Madeira.

PT também

Com o crescimento de Lula, o PT de Rondônia ensaia lançar o ex-deputado federal Anselmo de Jesus (Ji-Paraná) ao governo. Uma composição com partidos progressistas de esquerda não está descartada.

Missão federal

Uma das metas do PT de Rondônia é eleger pelo menos um deputado federal e dois estaduais em 2022. Nesse sentido o partido vai apostar nas candidaturas de Ramon Cujuí, Fátima Cleide, Lhano Rodrigues, Roberto Kuppê (PT), Alessandra da Fetagro e Lionilda Simão do Sintero.

Para a Assembleia Legislativa

Nomes fortes para deputado estadual: Dr. Wellison Nunes (PDT), Dabson Bueno (MDB), Pimentel (MDB), Samuel Costa (PCdoB), Sid Orleans (PT), Hermínio Coelho (PT), Everaldo Fogaça (Republicanos), Wendell Mendonça (Cidadania), Edson Silveira (PT), Fatinha (PT), dentre outros.

Vivo ou morto

Não é à toa que o presidente Bolsonaro proferiu o seguinte presságio: “ser preso, ser morto ou ser vitorioso.” Ele sabe que o que vem pela frente não será nada fácil para ele e família. Ciente do perigo, ele vai partir para o tudo ou nada, conclamando a população para se armar e lutar com ele contra um inimigo que ele mesmo criou ao longo dos 30 anos de política totalmente inservíveis ao País. “Bolsonaro vive em uma fantasia, onde ele é o salvador de um país que está nas garras de instituições dominadas por seres malignos que o perseguem. Ele crê plenamente nisso, e compartilha com os acéfalos e/ou mal intencionados essa crença. Juntos, eles deliram com uma Gilead”, disse o jornalista Alan Alex, do Painel Político.

Lula 2022

A menos que manobrem para tira-lo de novo do páreo, o ex-presidente Lula é o favorito nas próximas eleições. Governista até medula, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) até se adiantou, ontem: “Se continuar assim, Lula vence de WxO, ou seja, sem adversário.

PT lidera

Pelo 22º ano consecutivo, o PT lidera a lista dos parlamentares mais influentes no Congresso Nacional, conforme avaliação do  Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). A lista é preparada anualmente há 28 anos pelo Diap, com os 100 deputados e senadores que protagonizam o processo legislativo. A lista foi divulgada na sexta-feira ( 27). “Os cabeças do Congresso”, na definição do Diap, é integrado por parlamentares que conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de suas qualidades e habilidades. Na lista dos mais influentes na Câmara estão, ainda, Afonso Florence (BA)Alexandre Padilha (SP)Carlos Zarattini (SP)Enio Verri (PR)Erika Kokay (DF)José Guimarães (CE)Paulo Pimenta (RS) e Paulo Teixeira (SP). Além do líder do PT no Senado, Paulo Rocha,  constam também da lista de mais influentes do Congresso os senadores Jaques Wagner (BA), Jean Paul Prates (RN) , Humberto Costa (PE), Paulo Paim (RS) e Rogério Carvalho (SE).  Paim é o único parlamentar – seja como deputado ou senador – que está na lista do Diap desde a sua primeira edição, em 1994.

Os donos da terra

Ficou para a próxima quarta-feira, 1 de setembro, a conclusão do julgamento do marco temporal, que poderá determinar se os indígenas que vivem a milhares de anos no Brasil, são os verdadeiros donos das terras. Pelos ruralistas e mineradoras, os indígenas serão exterminados. Heroicamente eles invadiram semana passada a Praça dos Três Poderes e promoveram uma extraordinária manifestação.

Retrocesso

Quando se fala que o governo Bolsonaro está levando o País para a Idade da Pedra, não é exagero. Quem tem mais de 40 anos deve lembrar do apagão da energia elétrica ocorrida em 2001, durante o governo FHC (PSDB). Aí veio o governo Lula e o Brasil saiu das trevas. De novo, já mergulhado na maior crise hídrica da história, caminhamos para o caos total, visto que a pandemia ainda persiste, levando milhares de pessoas à morte. Sem falar na crise econômica e a volta da inflação galopante. Ao lado, capa de Veja de 2001.

 

 

 

CPI da Saúde em RO

— É chegada a hora da necessidade da instalação de uma CPI para apurar os rombos da saúde — Reivindicou Jean Oliveira na tribuna da Casa de Leis de Rondônia. Se até Jean Oliveira (MDB) está pedindo uma CPI, é porque a coisa está feia lá pelos lados do Palácio Rio Madeira. O deputado disse que as circunstâncias deploráveis da administração do secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, estão atingindo em cheio a atenção básica hospitalar rondoniense. Fornecedores sem receber, funcionários terceirizados trabalhando em área insalubre e falta de medicamentos ao povo são fatores preponderantes para a abertura de investigação ao secretário Fernando Máximo e sua Staff. Segundo Jean, membros da gestão Marcos Rocha usam o decreto de calamidade pública para adquirir vantagens indevidas em processos licitatórios. No sentido figurado do ato delituoso dentro da SESAU, o deputado estadual Jean Oliveira citou que a possibilidades do dinheiro da Saúde Estadual ter evaporado em um suposto esquema de corrupção. A falta de atendimento e a omissão de socorro na saúde se tornaram modelo de má administração pública. Oliveira exigiu um basta no abandono da saúde. Sua avaliação inicial tem o condão de fiscalizar nos rigores da lei, os desmandos na pasta, que devem ter um fim imediatamente.

Por equipe do Mais Rondônia

Facebook Comments