O genocida ataca

O jornalista Gregório Duvivier resumiu tudo no Instagram acima. Apavorado com a morte de quase 260 mil brasileiros, o presidente Bolsonaro e seus asseclas, dispararam ontem, via redes sociais, informações distorcidas e mentirosas (fake news) a respeito da verbas destinadas aos governadores. Um absurdo que só a plateia dele acredita. Em 791 dias como presidente, Bolsonaro deu 2498 declarações falsas ou distorcidas. Quando ele acerta, fala a verdade, é por pura obviedade como fechar o comércio resulta em desemprego, ou que isolamento causa depressão e suicídio. Um falastrão, seguido por uma horda de incautos. Até quando?

Fake news

Os governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), do Piauí, Wellington Dias (PT), e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), contestaram o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), por uma postagem na qual listou valores que o governo federal teria repassado em 2020 a cada estado. Para Rondônia, a SECOM informou que repassou 5,2 bilhões, dos 8,6 estimados. Ocorre que esses repasses são constitucionais e obrigatórios e em nada tem a ver com a pandemia.  Bolsonaro imita Chacrinha: “Eu vim aqui para confundir e não para explicar”.

Rondônia

Impeachment já!

O que estão esperando ainda, para afastar o presidente? Ele cometer uma terrível e nefasta pedalada fiscal? Ou chegar a 500 mil mortes (previsão para daqui a quatro meses)? Bolsonaro passou um ano boicotando as medidas sanitárias que previam a salvação da economia. Ele próprio tratou de destruir a economia ao se rebelar contra a ciência. Isso é fato. E continua até hoje com o projeto genocida macabro. Na verdade, Bolsonaro é adepto da máxima do quanto pior, melhor, pois seus crimes somem na poeira da destruição.

Hospital de GM

Nem a pandemia, nem a morte de quase duas centenas de guajaramirenses sensibilizaram as autoridades rondonienses quando à necessidade da conclusão do Hospital Regional de Guajará-Mirim. Desde 2013 que a construção está paralisada e só serve para campanhas políticas. Em 2018 o então candidato ao governo, Marcos Rocha, fez carreata anunciando que ia concluir se fosse eleito. Agora, com certeza, irá para a reeleição prometendo de novo a conclusão do hospital. Vai que cola!

OAB-RO em cima

O presidente da OAB Rondônia, Elton Assis, reuniu-se na manhã de sexta-feira (26), com o juiz convocado do TJRO, Jorge Luiz de Moura Gurgel do Amaral, e o procurador jurídico da OABRO, Cássio Vidal, para tratar sobre o tema. O objetivo do agravo e da reunião foi buscar a melhor forma de defender a sociedade de Guajará-Mirim e de Rondônia quanto a conclusão da construção do Hospital Regional do município e sua consequente operacionalização.

Perda lastimável

Morreu o promotor de Justiça Jônatas Albuquerque Pires Rocha, domingo (28), aos 38 anos, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. Jônatas trabalhou, durante vários anos, em São Miguel do Guaporé, mas recentemente estava atuando na cidade de Espigão do D’Oeste.

Lockdown é urgente!

O instituto do lockdown é radical, mas é necessário. Com 100% dos leitos ocupados, só medidas extremas para conter o avanço do vírus. O lockdown funciona como se fosse uma porta que você fecha para o ladrão não entrar. Se ir para as ruas (trabalhar) a pessoa fica exposta aos perigos diversos, dentre eles, contrair a Covid-19. Ninguém quer pegar o vírus e nem deixar de trabalhar. As duas coisas, no momento e ao mesmo tempo, não dá. Com menos de 5% dos brasileiros vacinados, impossível abrir a guarda. Seria suicídio em massa.

E o Ciro Gomes, hein?

O ex-ministro da Integração do governo Lula, Ciro Gomes (PDT), disse que a missão dele será tirar o PT do segundo turno. A mesma missão de Bolsonaro. Aliás, Bolsonaro nem precisa fazer mais fake news contra o PT. Ciro Gomes será o seu cabo eleitoral. Como diria Cid Gomes, irmão de Ciro: “Bolsonaro será reeleito, babaca”. E Lula, com sua elegância e paciência, fica minimizando as palavras de Ciro.

 

Por equipe do Mais Rondônia

Facebook Comments