Fiscais da Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Semusb) cumpriram uma ação de retirada de barracas de camelôs no centro de Porto Velho na manhã desta quinta-feira (7). A medida ocorreu após a prefeitura da capital atender a recomendações do Ministério Público de Rondônia (MP-RO). Não houve apreensão de produtos.

As equipes interditaram parte da Praça Jonathas Pedrosá, na Avenida Sete de Setembro, para a operação de retirada. As barracas foram sendo desmontadas, enquanto os ambulantes tiveram que recolher as mercadorias. Houve manifestações contrárias dos camelôs.

Um grupo de camelôs chegou a bloquear a Avenida 7 de Setembro na manhã desta quinta-feira (7), em protesto contra a ordem de desocupação da praça Jonathas Pedrosa, determinada pela Prefeitura de Porto Velho, após ação do Ministério Público.

Policiais davam segurança aos fiscais que trabalhavam na ação. A Semusb informou que os trabalhos de retirada são oriundos de duas recomendações do MP atendidas pelo município. A primeira havia sido dada no início deste ano, de retirada de ocupantes de logradouros público. Depois, veio a pandemia do novo coronavírus.

O prefeito Hildon Chaves, conforme a secretaria, chegou a se reunir com os ambulantes e pediu que eles não abrissem as bancas, pois o local não tem controle sanitário, é um risco de disseminação da Covid-19 para vendedores e a população e não estão inclusos no critério de serviço essencial previsto no decreto estadual de calamidade pública. Porém, não teriam atendido.

O MP, então, encaminhou uma segunda recomendação à prefeitura para que cumprisse a primeira. “Infelizmente quebraram o acordo e o Ministério Público, preocupado com a situação da Covid-19, soltou a segunda recomendação ministerial”, disse Rainei Viana, chefe da Semusb.

A prefeitura informou, em nota, que disponibilizou veículos para levar as mercadorias dos ambulantes para onde eles quisessem. Disse ainda que assim que a pandemia passar, irá realocar os ambulantes em uma área apropriada com banheiros químicos fora da praça.

Fonte: G1

Facebook Comments