Foto ilustrativa: Jornal SP Norte

 

O grande aumento dos casos de covid 19 entre os jovens de 20 a 39 anos causa espanto aos especialistas. 

Nova variante causa complicações mesmo entre jovens que não possuem comorbidades que agravam a doença, deixando os leitos disponíveis na rede de saúde lotados agravando o enfrentamento ao vírus em vários estados. 

Porque os jovens estão sendo mais afetados?

Durante a primeira onda de casos do covid 19 os mais afetados eram idosos de mais de 45 anos e pessoas com doenças crônicas, que desenvolviam  sintomas mais graves da doença. 

Logo a determinação da maioria dos estados e municípios era que cuidassem com mais zelo dos seus idosos e que esta faixa etária permanecesse em casa, evitando ao máximo o possível contato com o vírus, através da intensificação na assepsia das mãos, o uso de máscaras quando estiverem fora de casa e a  intensificação no cuidado com a imunidade. 

Enquanto isso, os jovens entre 20 e 39 anos não estavam tão preocupados assim com possíveis sintomas ou agravamento da doença, mantendo suas rotinas em dia com festas, encontros noturnos, bate-papos entre amigos e o famoso happy hour sempre em dia.  Em alguns casos o uso de máscaras até era feito, mas sem as devidas precauções de troca frequentes e uso de álcool 70%. 

Até que uma variante do vírus se espalha rapidamente causando a internação dessa faixa etária, mesmo sem doenças crônicas conhecidas previamente, causando descontrole do número de leitos disponíveis já que nesses casos a média de dias em internação está entre 5 a 15 dias em hospitais quando não há a necessidade de UTIs e respiradores. 

Jovens sem medo e sem máscaras 

Mediante muitos decretos de isolamento social vimos que  os idosos se recolheram em suas  casas, e os mais novos continuaram circulando, muitas vezes até de maneira ilegal, em horários proibidos, sem medo da doença.

Além do fato da grande classe trabalhadora ser de jovens, eles saem com maior frequência de suas casas e um artigo de primeira necessidade para quem esta na rua é o uso de máscaras de proteção.

Sejam de tecido ou outro material elas se tornarão indispensáveis em áreas externas ou locais onde há outras pessoas. 

Em alguns estados o uso é obrigatório e o descumprimento a essa ordem pode causar multa. 

O uso das máscaras teve uma real resistência entre os mais jovens, que quando as usam não tomam o devido cuidado. 

Este novo comportamento deve ser incentivado entre todos, mas para que este uso seja realmente eficaz deve-se evitar deixar as máscaras  em cima de mesas, do banco do carro ou no pescoço para comer, por exemplo, e depois voltar a colocá-la na boca, essas atitudes ajudam a proliferação do vírus.

A falta de cuidado com essas recomendações e falta de medo dos jovens vem causando o agravamento do número de casos entre os jovens, que somada a mutação do vírus, veio a ocasionar grande proliferação e aumento de casos. 

As medidas de precaução são essenciais 

Segundo os médicos infectologistas, quando há mutações no vírus ele reage de maneiras variadas, conforme as características genéticas de cada indivíduo e a agressividade das cepas é muito grande. 

Além do aumento de problemas no sistema imunológico podemos ver, que os mais jovens ficam mais tempo internados, agravando a disponibilidade de leitos no país. 

O famoso “fique em casa”, continua sendo a maior forma de evitar o contágio, independente da idade temos visto casos de mortes e grandes perdas. Use máscaras, evite sair de casa, se não for realmente necessário e se atente a assepsia das mãos o tempo todo. 

Somente desta forma vamos diminuir a curva de contágio até que toda população consiga ser vacinada e possamos ter controle do vírus. Prevenir ainda é o melhor remédio. 

Fonte: A Melhor Escolha

Facebook Comments